Reflexões teológicas – Ricardo Alfredo

PENSAMENTO – A voz.

“A voz mais alta, é o silêncio de um coração triste”. (Teólogo Ricardo Alfredo).

 

AMOL – Academia Mossoroense de Letras

A Academia Mossoró de Letras (AMOL), vem preparado para setembro a grande festa de aniversário do seu presidente o imortal dr. Helder Heonildes. A programação é extensa. Terá início com um culto ecumênico através de uma lives, e durante todo o dia será de festas e programação.

 

 

REFLEXÃO: Tira-me da armadilha que me prepararam, pois tu és o meu refúgio. (Salmos 31:4)

Nossos inimigos espirituais são da descendência da serpente, e procuram nos enredar pela sutileza. A oração diante de nós supõe a possibilidade do servo ser apanhado como um pássaro. Tão habilmente o passarinheiro faz o seu trabalho que os simples logo são envolvidos pela rede. O texto pede que, mesmo nas redes do inimigo de Deus, o cativo possa ser liberto; esse é um pedido adequado e que pode ser concedido; de entre as garras do leão, e para fora do ventre do inferno, o amor eterno pode resgatar o santo. Pode ser necessário um puxão para salvar uma alma da rede de tentações, e uma poderosa força para libertar um homem das armadilhas da maliciosa astúcia, contudo o Senhor é o mesmo para cada emergência, e as redes mais habilmente colocadas pelo caçador nunca serão capazes de prender Seus escolhidos. Ai dos que se valem da astúcia ao deitar as redes; aqueles que tentam os outros serão eles mesmos destruídos. “Pois tu és a minha força”. Que indizível doçura é encontrada nessas poucas palavras! Quão alegremente podemos nos deparar com fadigas, e com que deleite suportar sofrimentos, quando nos apoderamos da força celestial. O poder divino rasgará em pedaços todos os esforços de nossos inimigos, confundirá suas estratégias e frustrará seus truques fraudulentos; é um homem feliz aquele que tem semelhante incomparável poder engajado ao seu lado. Nossa própria força seria de pouca utilidade quando embaraçada nas redes da vil astúcia, mas a força do Senhor está sempre disponível; temos apenas que clamar por ela, e a encontraremos à mão. Se, pela fé, dependemos apenas da força do poderoso Deus de Israel, podemos usar nossa sagrada confiança como um apelo em súplica. “Senhor, sempre a Tua face buscamos; tentados, e pobres, e fracos somos; mantenha-nos com corações humildes e mansos, não caiamos, não caiamos”.

 

COLUNA DIREITO DO POVO COM RICARDO ALFREDO

Todos os domingos no portal do RN, temos um pouco sobre como o direito atua no nosso dia a dia. https://portaldorn.com/jamais-esquecer/

 

O AMOR DE CRISTO

Não há nada melhor para explicar o amor de Deus em Cristo pela humanidade do que a própria Bíblia. Assim, ela mesmo, a Bíblia, se auto explica, ao declarará esse amor de forma clara ao afirmar:Pois o amor de Cristo nos constrange, porque estamos convencidos de que um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou”. (2 Coríntios 5:14,15).

Estes dois versículos traz um significado desafiador para o mundo moderno, visto que, Ele nos convida a agir de maneira diferente em todas as situações. Por outro lado, o amor de Cristo que nos constrange, porém, não nos leva ao embaraço e a dúvida.

A leitura desta passagem bíblica, exposta pelo apóstolo Paulo, não tem somente a intenção de criar um clima de bem estar ou mesmo um sentimento de bem, ele nos leva a um desafio de mudança.

Nos aspectos teológico, este constrangimento amoroso do Cristo está relacionado a duas bases que são: a sua morte salvadora e o seu desejo que todo chegue à compreensão d vida eterna.

E quando esse amor é compreendido e aceito, os frutos surgem de forma benéfica a todos, cumprindo o dito, “amaras o teu próximo a ti mesmo”. E o Espeito Santo, protetor dos servos de Deus, sempre está de espada nas mãos para defender os sevos do eterno de toda sorte de armadilha maligna.

Portanto, mesmo diante de um mundo desumano e mau, o Cristo ainda anuncia o seu eterno amor tanto pela humanidade com a cada indivíduo. E sendo assim não pare continue lutado pelo bem e pelo amor.

  

GRATIDÃO

LIÇÃO: autocontrole

“Aprendi através da experiência amarga a suprema lição: controlar minha ira e torná-la como o calor que é convertido em energia. Nossa ira controlada pode ser convertida numa força capaz de mover o mundo”. (Mahatma Gandhi)

 

RECONHECIMENTO

 

UMA CONVOCAÇÃO

Caros Confrades, e digníssimas confreiras!

Com os cumprimentos de praxe, iniciamos a conversa, dizendo que em nossa concepção o mais importante para nossas vidas, é o amor, a fé, a solidariedade, a fraternidade, o perdão, o reconhecimento as virtudes boas dos outros e a gratidão. Fora desse contexto, não adianta nada. Seremos apenas um nome, nunca uma história.

Então é fundamental construirmos o presente com ações boas, desprovidas de sentimentos tristes.

O nosso querido confrade, amigo e presidente de honra da ACJUS e presidente executivo da AMOL, intelectual ELDER HERONILDES DA SILVA, desde o início da sua formação quando apreendeu com seus pais os nobres ensinamentos, nunca mais arredou um só milímetro desse profícuo caminhar.

ELDER HERONILDES DA SILVA é um ser humano ímpar, desprovido de qualquer sentimento de vaidade, maldade, ambição ou qualquer outro gesto descortês. Como sabemos, para ele o ser humano tem verdadeiro e sublime significado. No seu coração, que isso sirva de exemplo, não há espaço para outros sentimentos, quais não sejam os já elencados no início.

Na vida acadêmica, a sua participação tem sido generosa e comprometida com a obediencial aos mandamentos estatutários, por isso, nesse momento nos reportaremos a AMOL e ACJUS. Na AMOL foi um dos seus fundadores, e é o mais longevo presidente desde a fundação em 27/09/1988. Na ACJUS, é sócio fundador – (05/11/14), primeiro ocupante da cadeira 12, e eterno presidente de honra, e em momento algum procurou ou procura ofuscar a liderança dos seus pares.

Por estas, e por tantas outras razões, no próximo dia 09/09/2021, a partir das 18h., a ACJUS estará mais uma vez promovendo o Projeto Memória Acadêmica Trajetórias, quando estaremos  focando um pouco sobre a  trajetória de vida do nosso confrade ELDER HERONILDES DA SILVA, para tanto,  elencamos algumas ações em sua homenagem, mas, para o êxito desse TRIBUTO – nós necessitamos imprescindivelmente contarmos   com o apoio e a participação maciça não só do nosso corpo acadêmico, assim como de outros segmentos e instituições sociais, filosóficas, educacionais  e culturais congêneres.

Mire no exemplo. ENGAJE-SE! Dr. José Wellington Barreto Representando a Direção da ACJUS

 

 

EXEMPLO DE VIDA

Os doutores Helder Heronildes e sua esposa Zélia Macedo, em sua residência passando os dias de isolamento social e mesmo assim, se comunicado com os amigos pelas redes sociais. O nosso presidente (AMOL), sempre ativo, apresentado os seus poemas, e sua reflexões. Parabéns ao casal.

 

 

 

À FRENTE DO SEU TEMPO

Poetisa MARIA SÍLVIA DE VASCONCELOS CÂMARA, à frente do seu tempo, contribuiu em muito com a cultura da terra. Sua inteligência ainda não foi reconhecida por Mossoró.

 

 

 

 

EM FASE DE ACABAMENTO EXTERNO

Sempre ativo e participativo a frente da grande obra do templo da Academia, o nosso presidente da ACJUS, Dr. Wellington Barreto, vai deixar para Mossoró e para os imortais da ACJUS um grande legado. Parabéns presidente.

 

MORDOMIA – mordomo

Uma bela definição para mordomia, mordomo está no Dicionário Aurélio, que define “mordomo” como sendo “o serviçal encarregado da administração duma casa”. A ideia central desta, mensagem de Cristo está relacionada ao servo que cuida das coisas do seu senhor com muito zelo.

Num mundo castigo pela ambição, pelo desejo de poder para ser locupletar, é quase impossível se falar em mordomo ou mordomia, assim como em fidelidade, pois ambos, os conceitos e aplicação estão fora da realidade competitiva que os homens são empurrados a fazerem. Porém, é bom relembrar o que ensina as Sagradas Letras, ao afirmar: “Tudo pertence a Deus”.  e quando essa mensagem encontra guarita no coração, passamos a viver como verdadeiros mordomos de Deus.

Vejamos o que diz o Evangelho de Lucas: Disse o Senhor: Quem é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor confiará os seus conservos para dar-lhes o sustento a seu tempo? Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando vier, achar fazendo assim. Verdadeiramente vos digo que lhe confiará todos os seus bens. Mas se aquele servo disser consigo mesmo: Meu senhor, tarda em vir, e passar a espancar os criados e as criadas, a comer, a beber, e a embriagar se, virá o senhor daquele servo em dia que não o espera, e em hora que não sabe, e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os infiéis.” (Lucas 12.42-46)

Portanto, se nossa riqueza é Cristo e sua glória, as coisas deste mundo só tem serventia se ela for direcionada ao bem comum. E assim estaremos cumprindo a missão do servo que é servir sem olhar a quem.