Quiosqueiros e ambulantes da Redinha se reúnem com setores para debater o ordenamento urbano nas praias

NATAL – Cerca de 20 quiosqueiros da praia da Redinha, em Natal, estiveram na manhã de ontem, 22, na Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) para debater o ordenamento urbano da orla de Natal. A reunião faz parte de uma série de ações visando melhorias estruturais e paisagísticas das praias da cidade e foi proposta pelo Setor de Fiscalização Ambiental da Semurb, com o apoio da fiscalização da Secretaria de Serviços Urbanos (Semsur).

A iniciativa da prefeitura pretende, com as reuniões, dialogar com todas as categorias que atuam nas praias, principalmente, as que exercem suas atividades com o uso direto dos espaços públicos, como quiosqueiros e ambulantes.

Na ocasião, os quiosqueiros também puderam expor suas insatisfações e dialogar junto ao Poder Executivo sobre melhorias nas condições de trabalho. O chefe do Setor de Fiscalização Ambiental da Semurb, Leonardo Almeida, esteve à frente da reunião. Ele explica que a prefeitura quer conversar com essa categoria a fim de corrigir problemas no ordenamento nas praias, e assim, garantir mais tranquilidade ao turista e ao vendedor.

Entre as principais reivindicações dos comerciantes, estão: a falta de segurança no local, instalação e manutenção de banheiros químicos e a revitalização do ambiente de comércio. Em contrapartida, a fiscalização cobrou o cumprimento da lei, principalmente, a que estabelece restrições no uso de aparelhagem de som, como também, a utilização adequada de mesas e cadeiras na orla da praia.

Para a comerciante Karine da Silva, essa alternativa do diálogo é importante para ambos os lados. “A prefeitura cobra que cumpramos a lei, porém deve nos oferecer segurança e qualidade no trabalho, e isso só é possível quando entramos em acordo”, destaca.

Almeida explica que todas as reivindicações e acordos firmados na reunião serão encaminhados à Promotoria de Meio Ambiente e demais órgãos responsáveis. “Enviaremos, por exemplo, ofícios à Guarda Municipal e a Polícia Militar, solicitando maior segurança para aquela região”, completa.