Pronunciamento isola Bolsonaro e insatisfação com presidente aumenta entre políticos

Em resposta, governadores, líderes de partidos no Congresso Nacional e os presidentes das casas legislativas criticaram o posicionamento do presidente e o tom de impeachment começa a ganhar força entre diferentes espectros políticos.

Durante o pronunciamento, o capitão reformado pediu para a população brasileira que volte à normalidade, mesmo com cerca de 360 mil casos confirmados e 16 mil mortes decorrentes do novo coronavírus em todo o mundo. Enquanto falava em rede nacional, o Brasil registrava 2.201 casos confirmados e 46 mortes.

Um relatório produzido pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) obtido pelo The Intercept Brasil faz uma projeção de que o número de mortes pode chegar a 5.571 em apenas duas semanas.

Bolsonaro voltou a falar em “histeria”, “gripezinha” e criticou prefeitos e governadores que optaram pelo fechamento de escolas e do comércio a fim de frear o avanço da contaminação. “Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transporte, o fechamento de comércio e o confinamento em massa”, disse.

::Descontrole sobre epicentros agrava exposição do Brasil à covid-19, diz pesquisador::

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi um dos primeiros a se manifestar publicamente após o pronunciamento. Em nota assinada junto com o vice-presidente do Senado Federal, Antonio Anastasia (PSD-MG), classificaram como “grave” a fala do presidente da República e afirmaram que o país precisa “de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população”.

“Reafirmamos e insistimos: não é momento de ataque à imprensa e a outros gestores públicos. É momento de união, de serenidade e equilíbrio, de ouvir os técnicos e profissionais da área para que sejam adotadas as precauções e cautelas necessárias para o controle da situação, antes que seja tarde demais”, declaram Alcolumbre e Anastasia.

 

Brasil de Fato

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *