Professores da Ufersa avaliam movimento grevista

Professores da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) se reunirão hoje em assembleia para discutir o panorama nacional do movimento paredista e deliberar os próximos passos da mobilização. Os docentes estão de braços cruzados desde o dia 28 de maio.

Na última assembleia, realizada na semana passada, após uma votação apertada, os professores decidiram, por apenas dois votos de diferença, manter a paralisação. A proposição do Governo Federal, analisada na última assembleia, foi de reajuste de 10%.

Os técnicos-administrativos da Ufersa, que entraram em greve junto com os professores, retomaram as atividades no último dia 8. Embora não tenha sido considerada a ideal, os servidores acataram a proposta do governo federal.

Com a paralisação, os servidores conseguiram ganhos nos auxílios alimentação, creche e saúde e a possibilidade de implantação do turno contínuo. A recomendação é que os servidores façam uma força-tarefa para colocar as atividades acumuladas em dia, porém não há recomendação para reposição dos dias parados, uma vez que a greve foi considerada legal.