Professor mossoroense será responsável por gravação de CD com última turnê realizada por Belchior

Oito poemas de Cruz e Sousa foram musicados pelo cantor em 2005.

Amigo pessoal do cantor, compositor e artista plástico Belchior, o mossoroense José Gomes Neto, professor aposentado da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), será o responsável por trazer à tona um verdadeiro tesouro para a legião de fãs do sobralense falecido em 30 de abril de 2017, após vários anos de autoexílio e de muitas especulações.

Em 2005, Gomes, que reside há décadas no Sul do País, decidiu homenagear o poeta catarinense Cruz e Sousa e, juntamente com o Governo daquele Estado, organizaram a “Uma Turnê Catarina”, composta por dez shows e Belchior ficou responsável pela musicalização e interpretação de oito sonetos de um dos precursores do Simbolismo literário do Brasil.

Agora, 16 anos depois, as faixas, que estavam durante todo este tempo sob a guarda do ilustre mossoroense, vai se transformar em um CD que promete emocionar gerações, das mais novas às mais experientes. A turnê foi a despedida de Belchior dos palcos, realizada entre os dias 11 e 27 de novembro de 2005, o que torna o material ainda mais precioso.

Gomes, Luiz Henrique da Silveira, governador de SC e Belchior discutem “Uma Turnê Catarina”.

Segundo Gomes, na época, Belchior gravou as músicas, com acompanhamento de um piano, para servir de base aos artistas que dividiam o palco com ele. Para uma produção do CD com melhor qualidade, a voz de Belchior precisou ser separada do teclado, sendo adicionados na sequência à trilha, diversos outros instrumentos sob a batuta do maestro e compositor João Mourão e executados por músicos convidados. Mourão foi baixista da Banda Radar, que durante muito tempo acompanhou Belchior pelo país juntamente com Arnaldo Parron (bateria), Leo Zurawski (sax), Glauco Sagebin (teclado) e Sergio Zurawski (guitarra).

José Gomes Neto lançou em 2019 o livro “Cancioneiro Belchior”, obra construída pelos dois amigos durante anos e que traz a versão final de todas as letras escritas e interpretadas por Belchior. O “professor Gomes”, como era chamado por “Bel” também guarda dezenas de cartas e textos do eterno “rapaz latino-americano,” além do CD original de “Uma Turnê Catarina”. “Nossa amizade se construiu através do amor em comum pela literatura”, conta Gomes, que lembra. “Não foi a primeira vez que Belchior musicou poemas. Ele já tinha feito o mesmo com poesias de Carlos Drummond de Andrade em 2004”.

Tema de livros, cordéis, recitais, documentários e até tema de bloco de carnaval, Belchior talvez nunca tenha estado tão em evidência quanto nos últimos tempos e, como diz em sua canção “Como nossos pais”, em se tratando de sua obra, quando menos se espera um “novo sempre vem”.

Como será viabilizado o projeto?

O projeto será viabilizado através do site Benfeitoria, plataforma pioneira em crownfunding (financiamento coletivo) no Brasil. Essa ferramenta tem como função arrecadar recursos para tirar os projetos do papel. O interessado escolhe quanto quiser ou puder contribuir e recebe recompensas por isso. A partir do próximo dia 1º de junho entrará no ar o link do projeto na Benfeitoria, que ficará no ar durante dois meses. Aí, sim, já será possível fazer a contribuição com o projeto “Belchior Canta Cruz e Souza”.

O CD

O disco Belchior canta Cruz e Sousa virá em embalagem customizada, tipo digipack, com 3 painéis e um box. Acompanhará um Livreto/Encarte com 16 páginas coloridas com a apresentação do projeto, os perfis de Belchior e Cruz e Sousa e as letras dos oito sonetos gravados: Abrigo Celeste, Vida Obscura, Supremo Verbo, Feliz, Ilusões Mortas, Sonho Branco, Incensos, Serpente de Cabelos.

Mais informações no endereço BelchiorcantaCruzeSousa no Instagram e no Facebook.

Fotos: Cedidas.