Procon orienta passageiros a exigirem troco nos ônibus

Passada a primeira semana de alteração na passagem de ônibus para R$ 2,80, usuários do transporte público entraram em contato com o jornal O Mossoroense para saber se a medida é válida para todas as linhas, pois enfrentaram problemas com a falta de troco e cobrança da passagem em R$ 3. No entanto, de acordo com a diretora do Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor (Procon) municipal, Gemina Miranda, a prática fere os direitos dos usuários.

“Quando não houver troco, a passagem deve ser arredondada para baixo e não encarecida em prejuízo ao consumidor. Em caso de problemas, os usuários do transporte público podem entrar com reclamação no Procon, das 7h30 às 11h30 de segunda a sexta-feira”, orienta a diretora.

A diretora conta que nenhuma reclamação em relação à falta de troco nos ônibus do município foi registrada no Procon. Entre as barreiras para o registro de reclamação no órgão estão desde a falta de conhecimento dos consumidores sobre seus direitos.

De acordo com os motoristas dos ônibus, a categoria tem pedido aos passageiros para facilitarem o troco e pagarem em moedas. Já em relação à orientação do Procon de que o valor da passagem seja arredondado para valores mais baixos na ausência de troco, os trabalhadores afirmam não ser possível devido à falta de comprovação para a prestação de contas no final do dia.

Contatada, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) informa que a cobrança da taxa de R$ 3 também não chegou ao conhecimento da pasta. A assessoria declara ainda que a orientação é de que os passageiros fiquem atentos e exijam o troco ao motorista ou cobrador, quando houver.