Procon lança campanha “Natal sem Dívidas”

Foi lançada ontem a edição 2015 do “Natal sem Dívidas”, projeto da Prefeitura de Natal, realizado por meio do Procon Municipal, em parceria com a Fecomércio, CDL Natal e UNI-RN, e que tem como objetivo intermediar negociações entre credores e devedores, sobretudo aqueles que se encontram na situação de “superendividamento”.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Procon Natal irá promover a campanha, beneficiando consumidores que estejam inscritos em cadastros de inadimplentes, com a conciliação dos interesses das partes, de forma amigável e administrativa, buscando evitar demandas judiciais.

“Nas outras duas edições do Natal sem Dívidas conseguimos atingir um índice de 75% de acordos das partes que nos procuraram, com descontos que chegaram até 90% do valor da dívida, em alguns casos. Para este ano, a expectativa é que estes números sejam superados, chegando a mais de 80% de acordos”, afirmou o diretor-geral do Procon Natal, Kleber Fernandes.

A novidade da edição 2015 é que as negociações serão feitas na praça Pedro Velho, a Praça Cívica (em anos anteriores, eram feitas no próprio Procon), em Natal, entre 10 e 20 de novembro. Nesta primeira fase serão preenchidos formulários e feitas a triagem e análise dos casos, além da elaboração de propostas para parcelamento de dívidas. A segunda fase, que acontece entre 23 e 27 de novembro, o programa terá mutirões de mediação em busca de audiência com as empresas.

A realização do Natal sem Dívidas se dá em um momento bastante oportuno, quando a população começa a receber o 13º salário, e já se prepara para as compras de final de ano. Para se ter uma ideia, uma pesquisa realizada no mês de outubro, pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio RN), por meio do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC), apontou que dos consumidores natalenses que irão receber o 13º salário, 45,9% deles usarão o dinheiro extra para pagamento de dívidas.

“Sem consumidor, não há comércio. E é pelo respeito que os empresários do Comércio e dos Serviços têm pelos consumidores que a Fecomércio apoia, mais uma vez, a iniciativa. Combater o superendividamento e estimular o consumo consciente é benéfico para todos. Primeiro porque resgata a autoestima e reafirma a dignidade do consumidor, e segundo porque devolve este mesmo consumidor ao rol daqueles que podem pleitear crédito e com isso voltar a consumir. Quem sabe uma parte dos consumidores entrevistados pelo IPDC não pode se beneficiar do programa?”, afirmou Marcelo Queiroz, presidente da Fecomércio.