Preso encontrado enforcado em Alcaçuz é a 19ª vítima este ano em presídios do RN

Nas primeiras horas de ontem, um preso foi encontrado morto enforcado dentro de uma das celas da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, localizada no município de Nísia Floresta. Clésio Barbosa de Souza Oliveira, 36, foi o 19º preso assassinado em situação duvidosa este ano dentro de presídios do Rio Grande do Norte.

Segundo informações repassadas à imprensa, pela direção de Alcaçuz, Clésio Barbosa foi achado dependurado numa pilastra na entrada do Pavilhão IV. Ele estava em Alcaçuz desde fevereiro deste ano, após ter sido condenado a 17 anos e quatro meses de prisão por porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e por facilitação de fuga.

A Polícia Civil e o Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) estiveram na unidade prisional para acompanhar o trabalho de perícia e remover o corpo do detento para ser necropsiado.

O pavilhão onde estava o corpo do detento tem aproximadamente 200 presos e, na quarta-feira passada foi palco de uma baderna. Para controlar os ânimos dos detentos, a direção da unidade acionou o Grupo de Operações Especiais (GOE) da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), que encontrou buracos abertos nas paredes de algumas celas. Portões e grades também foram forçados e quase arrancados.

CONFLITOS
A morte de Clésio Barbosa foi a 17ª em pouco mais de dois meses, ou seja, somente depois de agosto, quando eclodiram os conflitos entre facções criminosas Primeiro Comando da Capital (PCC) e Sindicato do RN, que disputam espaço de atuação, dentro e fora das unidades prisionais do Rio Grande do Norte.