Prefeitura Municipal de Mossoró fecha portões com cadeado para evitar diálogo com terceirizados

Funcionários que prestam serviço terceirizado à Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM) reclamam de atrasos de até cinco meses no pagamento. Os trabalhadores realizaram protesto ontem pela manhã no centro da cidade reclamando da falta de diálogo com a PMM, que trancou o portão da sede do Executivo com cadeado, não recebendo os manifestantes.

“Quando souberam que íamos protestar em frente à Prefeitura, trancaram os portões com cadeado para não receber os funcionários terceirizados. Os atrasos variam conforme a função, motoristas estão sem receber há dois meses, mas há pessoas com quase cinco meses de salário atrasado”, conta o motorista Yata Anderson da Silva.

O motorista explica que, devido ao não-recebimento dos salários, 17 dos 23 motoristas do transporte escolar municipal resolveram suspender atividades desde ontem. Ele informa que servidores terceirizados procuraram o Ministério Público (MP) para falar sobre os salários dos terceirizados, sem nenhuma ação concreta para resolução do problema.

“Trabalho numa empresa há três anos e nem mesmo sei quem é meu patrão, pois a sede da empresa fica em Fortaleza (CE). Nos reunimos com o secretário municipal da Fazenda, Jerônimo Rosado, na quinta-feira passada e ele nos disse que o pagamento deverá ser feito com o dinheiro dos royalties, mas nada de previsão. Não podemos ficar assim”, afirma.

Contatada, a assessoria de comunicação da PMM declara que a previsão é que, até a próxima terça-feira, 1º, o pagamento deverá ser realizado referente a um mês em atraso às quatro empresas que prestam serviço terceirizado à Prefeitura. Já o restante da dívida aguardará pela antecipação dos royalties, o que ainda não tem data prevista para ocorrer.