Potiguar vive dias de tensão com dúvidas no Estadual

Depois de apresentar com pompa sua comissão técnica, em particular o treinador Bira Lopes, e iniciar de imediato a montagem do elenco para o Campeonato Estadual de 2016, a diretoria do Potiguar passou a viver momentos de tensão nas últimas horas. Levantou-se inclusive a possibilidade do clube mossoroense trilhar o caminho do Santa Cruz-RN, e também encarar o licenciamento, ou seja, não disputar o certame em 2016.

Preocupado com a saúde financeira do clube, o presidente Benjamim Machado reuniu a diretoria na noite de terça-feira quando expôs a situação e cobrou apoio e novas propostas que possam, no mínimo, levar o time a conviver com o momento de crise econômica. O desafio agora, adverte Benjamim, é de todos, e não apenas da figura do presidente.

PARCERIA
Em relação a provável renovação da parceria com a Prefeitura de Mossoró, o presidente do Potiguar disse que ajuda, mas não é o suficiente. Para Benjamim é necessário que outras mãos cheguem para reforçar a parte financeira, do contrário, não terá nenhuma dificuldade de enviar o comunicado de licenciamento à Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF). Os próximos dias serão decisivos para uma tomada final de decisão no Potiguar.

Benjamim volta a cobrar e critica falta de compromisso do prefeito

Material produzido pela assessoria de comunicação do Potiguar diz que, na noite da terça-feira (1º), o presidente Benjamim Machado e o vice Max Luís se reuniram com a diretoria para discutir a situação real do clube para o Campeonato Estadual 2016, que ainda não está definida pela situação financeira e o alto custo para manutenção e participação. Segundo o presidente, as despesas para o Estadual não condizem com a realidade financeira do clube, uma vez que a Prefeitura Municipal de Mossoró não honrou o pagamento referente às duas últimas parcelas no valor de R$ 80 mil, do Estadual 2015, o que dificulta executar o planejamento pretendido.

Mesmo com as outras fontes de receitas como patrocínios privados, venda de arquibancadas e cadeiras, renda dos jogos entre outras, ainda não são suficientes para cobrir nossas despesas. Esperamos que o prefeito Francisco José Júnior, responsável pelo acordo, possa nos contatar o mais rápido possível para quitar a dívida, assim como firmou com o outro clube da cidade. Ressaltamos ainda que esperamos que o prefeito possa negociar as parcelas do próximo ano, para que possamos cobrir as despesas da competição, já que a essa cota corresponde quase 50% da receita do clube.

Lembrando que já está previsto no Orçamento municipal verba assegurada para publicidade, não afetando os serviços básicos a manutenção do acordo do clube com a PMM. Com isso, a data de início da pré-temporada foi adiada, em data a ser definida pela diretoria e comissão técnica para apresentação dos atletas.