POESIA – Manoel Cavalcante

Manoel Cavalcante de Souza Castro é natural de Pau dos Ferros-RN. Possui 10 livros publicados, 21 títulos de cordel lançados, mais de 100 premiações em concursos literários no Brasil e até no exterior. É membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Literatura de Cordel (cadeira 4), da Academia de Trovas do RN (cadeira 17) e do Clube dos Trovadores do Seridó (cadeira 36), é graduado em odontologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, pós graduado em saúde da família, exerce a função de odontólogo na cidade de Açu como também em Pau dos Ferros e é o único poeta do mundo que recebeu uma ligação telefônica de Antônio Francisco.

 

Enquanto um verso rimado
enfeitar qualquer papel
e uma sextilha estiver
à métrica sendo fiel,
meu sonho vai sempre estar
pendurado num cordel.

 

 

 

Soneto de infância

Um colar de ceroto no pescoço,
Um chinelo c’um prego na correia,
Uma vaca de pau, outra de osso,
Uma bola de saco, pano e meia.

“Quick” ao leite quentinho de manhã…
A garrafa de bila quase cheia,
Um cascudo que dei na minha irmã,
Mas mãe soube depois e tome peia.

As cocadas de dona Bacurau,
Um enxame de abelha na janela
E as pedradas que eu dava só de ruim,

Um dindin de banana com nescau,
Bicicleta sem freio na banguela,
Minha infância todinha foi assim…