PÍLULAS PARA O SILÊNCIO (PARTE CXCVII) – Clauder Arcanjo

Colóquio com o Cansaço

Foto: “Cansaço”, de Marcão Melo.

Para Peter Handke

 

O cansaço surgiu, como se invadisse o corpo dos dois uma febre. Ou um arrepio de repulsa. De fora para dentro.

Em seguida, o silêncio se pôs entre o casal. Frio, fatal aversão.

Ele tentou se expressar, um discurso longo não o socorreria. Forçou a voz e escapou-lhe apenas:

— Já vou.

— Eu também.

E deixaram o jardim. Transformados, de repente, em dois estranhos.

 

&&&

 

Levou horas e horas rascunhando um texto; ao terminá-lo, apresentou a sua página ao Companheiro Acácio.

Antes de ler, Acácio indagou-lhe:

— Sentiu cansaço ao concluir a sua criação, como se tivesse retirado dos ombros uma carga pesada?

— Confesso que não. Apenas fui invadido por um misto de alegria e satisfação.

— Então rasgue tudo. Tal obra não é digna de um escritor — professou Companheiro Acácio, peremptoriamente.

 

&&&

 

Quando se cansaram, após construírem o sonhado há dias, sentiram-se imersos num alívio recompensador.

 

&&&

 

— Por que não te cansas? — indagou o visitante.

Ele estranhou a pergunta, mas resolveu dar-lhe uma resposta, apesar de julgá-la por demais óbvia:

— Porque apenas faço aquilo que gosto.

O visitante acenou-lhe um até mais; e, extenuado, seguiu caminho.

 

&&&

 

O cansaço congrega os motivados e amaldiçoa os sem rumo.

 

&&&

 

No ano último, o tempo não os ajudou. Não choveu o necessário, o céu foi visitado por um sol forte e destruidor, e a ventania cuidou de levar as sementes para bem longe da terra trabalhada. Apesar de tudo, permaneceram unidos, a luta os irmanava.

No ano presente, o tempo melhorou. A chuva se apresentou dadivosa, o sol apenas surgiu como testemunha da floração generosa, e o vento despontava para refrigério do solo semeado. Apesar de tudo, meteram-se em discussões infames, a fartura os tornara avaros.

 

&&&

 

Passou a vida cansado de não fazer nada. Quando morreu e o enterraram, dizem que a terra dele se cansou, expulsando-o da cova para ser, numa trabalheira de carniça, comida dos vermes e dos urubus.

 

&&&

 

O cansaço só deveria surgir antes do trabalho nas páginas dos dicionários.

 

Clauder Arcanjo é escritor e editor, membro da Academia Norte-rio-grandense de Letras.