Petroleiros entrarão em greve amanhã

Petroleiros de todo o país entrarão em greve amanhã. A paralisação de atividades está marcada para as 15h de amanhã e faz parte do movimento “Pauta pelo Brasil”, em que os trabalhadores do ramo petrolífero reivindicam, entre outras coisas, a interrupção do processo de terceirização da Petrobras e a retomada dos investimentos pela estatal.

Outras pautas do movimento grevista são a conclusão das obras do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), da Refinaria Abreu e Lima (PE) e da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Mato Grosso do Sul (Fafen-MS). Os petroleiros pautam ainda a suspensão da venda de ativos da Petrobras, recomposição dos efetivos e abertura de concurso público.

“As medidas adotadas pela Petrobras no seu Plano de Negócios e Gestão, com redução nos investimentos, visam atender os interesses dos investidores privados. Isso tem um impacto desastroso, custa empregos e direitos trabalhistas, o que vai contra o que defende o Sindicato”, disse o diretor do Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro/RN), Pedro Idalino.

Devido à redução dos investimentos, o diretor explica que os trabalhadores terceirizados são os mais afetados. Ele conta ainda que, em todo o Rio Grande do Norte, são 2.500 funcionários da Petrobras e 12.000 trabalhadores terceirizados ameaçados pela possibilidade de venda dos chamados campos maduros, poços de petróleo que apresentam produção descendente.

Durante audiência realizada no Ministério Público do Trabalho (MPT), no Rio de Janeiro, na última quinta-feira, 29, representantes da Federação Única dos Petroleiros (FUP) declararam que, se concretizado, o Plano de Negócios da Petrobras poderá fazer com que 20 milhões de empregos deixem de ser criados no país até o ano de 2019.

Dentro da “Pauta pelo Brasil” estão ainda a construção de navios e plataformas no Brasil, a garantia de que o pré-sal seja explorado pela Petrobras, a implementação de nova política de saúde e segurança para os funcionários e a preservação dos direitos trabalhistas.