Pedreiro é condenado a doze anos de reclusão por matar amigo com 61 facadas

Na manhã de ontem, o pedreiro Francisco Antônio da Silva, 28, foi condenando a 12 anos de reclusão, pelo Tribunal do Júri Popular (TJP), por ter matado o seu amigo Edvaldo José da Silva, com 61 facadas. De acordo com a peça processual, o assassinato ocorreu no dia 3 de janeiro de 2010, no loteamento Alto da Liberdade, em Mossoró.

A denúncia feita do Ministério Público do Rio Grande do Norte aponta que vítima e acusado eram amigos e que, no dia do crime, saíram para beber juntos em um bar no bairro onde moravam. Na ocasião, quando retornavam para casa, houve um desentendimento, momento em que Francisco Antônio matou Edivaldo e jogou o seu corpo em um terreno baldio.

Em depoimento ao juiz Vagnos Kelly Figueiredo de Medeiros, que presidiu a sessão do TJP, Francisco Antônio relatou que matou o amigo porque ele ameaçou matar seu pai com um facão. Ele foi mais além e disse ao magistrado que apesar da violência do crime, “não tinha intenção de fazer mal à vítima” e na oportunidade, o amigo estava desarmado.

Após os trâmites da defesa e acusação, o conselho de sentença acatou a denúncia e condenou o réu a 12 anos de prisão em regime fechado.

O julgamento, além do juiz Vagnos Kelly, contou com os trabalhos do promotor Ítalo Moreira Martins e do advogado de defesa José Galdino da Costa.