Operação da Polícia Civil prende 15 suspeitos de pistolagem em Assu

A Delegacia de Polícia Civil de Assú, com apoio da Delegacia de Polícia Civil de Caraúbas e equipes da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) deflagraram ontem a “Operação Abril Despedaçado”, para cumprir mandados de prisão, de busca e apreensão contra suspeitos de terem envolvimento com “crimes de pistolagem” em que ocorrem assassinatos por encomenda. A ação, que contou com o trabalho de 150 policiais e suporte do helicóptero Potiguar I, conseguiu prender 15 suspeitos, que foram detidos nas cidades de Assú e Caraúbas.

“A investigação teve início depois do homicídio do vereador Manoel Ferreira Targino, mais conhecido por ‘Manoel Botinha’, morto no dia 22 de abril de 2015. Com o desenvolvimento das investigações foi descoberta a existência de grupos que realizavam homicídios contratados. Acreditamos que com esta operação aconteça uma grande queda na taxa de homicídios na região do Vale do Açu”,detalhou o delegado titular da DP de Assú, Carlos Brandão.

O nome da “Operação Abril Despedaçado” é uma alusão ao filme do diretor Walter Salles, que aborda o conflito de terras entre duas famílias no interior nordestino do Brasil e o assassinato de membros dos grupos rivais. “Nesta região do RN, alguns homicídios ainda são praticados por criminosos que atuam em crimes de pistolagem. A Operação Abril Despedaçado mostra que nós, da Polícia Civil, estamos investigando e prendendo aqueles que atentam contra a vida”, destacou o delegado titular da DP de Caraúbas, Erick Gomes da Silva.

Resultados
Entre as 15 prisões efetuadas, sete delas foram decorrentes de mandados de prisão e oito foram prisões em flagrante. Também foram cumpridos 24 mandados de busca e apreensão que resultaram em apreensões de três veículos, quatro revólveres, três pistolas, seis espingardas e vasta munição, dentre outros objetos ilícitos.

Presos
Na cidade de Assú foram detidos, cumprindo mandado de prisão, José Roberto Nascimento da Silva, o “Feitosa”; Itamar Veríssimo de Melo; Welber Veríssimo de Melo, o “Ebinho”; Jalisson Veríssimo de Melo, vulgo “Jalin” e Douglas Daniel Morais de Melo.

“A nossa operação tinha como um dos alvos o foragido e condenado da Justiça, Francimar Paulino da Silva, mais conhecido como “Mal de Duzentos”, suspeito do cometimento de vários homicídios na região e de integrar uma associação criminosa especializada em crimes de pistolagem. Ele estava foragido da Justiça desde o dia 16 de março de 2014. No momento da abordagem policial, Francimar Paulino da Silva efetuou disparos contra policiais, mas morreu durante a ação”, relatou o delegado Carlos Brandão.

Pai e filho presos acusados de envolvimento na morte de médico

Durante a “Operação Abril Despedaçado”, pai e filho foram presos acusados de envolvimento da morte do médico e pré-candidato a prefeito da cidade de Triunfo Potiguar, Leonard Macedo, 43, fato ocorrido no dia 30 de setembro deste ano. Damião Firmino da Silva e o seu Eder Frankle da Silva foram detidos, em cumprimento a mandado judicial, por planejar e dá apoio logístico ao assassinato do médico.

De acordo com o delegado Erick Gomes, titular da DP de Caraúbas, que investiga a morte do médico, “Damião do Baralho”, como é conhecido o pai, e Eder têm uma associação criminosa especializada em matar pessoas, teriam sido contratados para cometer o crime.
“O pai planeja as execuções e o filho dá apoio logístico, tipo, seguir os passos da vítima, escolher a pessoa ideal para o homicídio, como também a arma ideal para a execução”, explicou o delegado.

Durante as investigações que ainda estão em curso, já haviam sido presos Paulo César Cabral e Francisco Paulino da Silva, o “Júnior de Duzentos”, que é sobrinho de Damião Firmino. “Paulo César foi preso um dia após a morte do médico, próximo à cidade de Triunfo Potiguar, e Francisco Paulino dias após o crime. Acreditamos que outras pessoas estão envolvidas, bem como os motivos do assassinato, também estão sendo investigados”, concluiu o delegado.