Operação conjunta no RN combate fraudes em benefícios previdenciários

12 policiais federais cumprem mandados de busca e apreensão

Na manhã desta terça-feira (8), a Polícia Federal em conjunto com a Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) e integrantes da Força-Tarefa Previdenciária e Trabalhista do Rio Grande do Norte, deflagrou a Operação Cubo de Rubik II. A ação tem por objetivo desarticular um esquema criminoso que utiliza documentos falsos para obtenção de benefícios previdenciários.

Foram designados cerca de 12 policiais federais para cumprimento de três mandados de busca e apreensão na cidade de Areia Branca, região da Costa Branca. A ação compõe a segunda fase da operação deflagrada em outubro de 2019, quando durante investigações, foi identificado o uso de registros civis falsos com o propósito de criar dependentes fictícios. Entre as situações falsas, consta o filho menor de idade requerendo o benefício da espécie pensão por morte.

Até agora, o total de benefícios fraudulentos apurados resultou em um prejuízo aproximado de R$ 200 mil aos cofres públicos e, levando em consideração que tais benefícios seriam pagos aos dependentes até atingirem maioridade, o valor ultrapassaria R$ 1 milhão. Nesta nova ação da Operação Cubo de Rubik II, a Polícia Federal visa aprofundar ainda mais as investigações e identificar outros benefícios concedidos através de fraude.

A Polícia Federal informou que não dará mais informações sobre o caso.