TOQUE ESPORTIVO – POR SÉRGIO OLIVEIRA

O TRABALHADOR DO ESPORTE

 

Rendemos nossas homenagens aos trabalhadores brasileiros pela passagem do 1º de Maio. No esporte a labuta é intensa de atletas, treinadores, profissionais da preparação física, massagistas, profissionais médicos, mordomos, sem esquecer os coleguinhas cronistas esportivos. O leque de trabalhadores no esporte chega ser maior do que o leque do pavão quando quer cortejar uma fêmea da espécie. E não se enganem, nem todos desfrutam daquele glamour vivenciado por trabalhadores que atuam na elite do esporte mundial, independente da modalidade. Na maioria o que se observa é o sofrimento vivido por muitos trabalhadores menos afortunados. Atletas que passam meses longe da família, em uma cidade desconhecida do seu grupo de amigos. E, pior de tudo, em muitos casos termina a temporada sem receber o valor salarial acertado sendo obrigado a conviver, as vezes por anos, em uma disputa judicial. A estes desejamos que a carreira seja feliz como o momento do gol, o salário chegue mais rápido do que um carro de fórmula 1 e que o respeito pelo seu trabalho seja igual ao comportamento do torcedor em uma partida de tênis. Enfim, que você possa se firmar na carreira sem precisar viver como uma bolinha na partida de tênis de mesa, o popular “Ping-Pong”. E ao final da carreira possa viver tranquilo e sereno, assim como o mestre de Kun Fu orientando o seu “gafanhoto” (discípulo, aluno). Feliz dia, semana, mês e ano do trabalho e do trabalhador, com descanso e luta.

 

O TRIO MOSSORÓ DO FUTEBOL

 

O futebol de Mossoró já teve um trio, depois uma dupla e hoje segue carreira solo. No futebol profissional do RN a bola já rolou com o Mossoró Esporte Clube, mais hoje não temos mais o voo do Carcará, seu mascote. Já teve também o Baraúnas, porém não escutamos mais o grito de “solta o leãO!”. Estamos sobrevivendo com o Potiguar, o Príncipe, que mostra ser na prática um Time Macho, resistente aos mares turbulentos do seu cotidiano.

As dificuldades, de longas datas, só poderiam terminar assim, com o torcedor mossoroense folheando o livro das boas lembranças. Como sonhar não paga IPTU e muito menos Imposto de Renda, sonhemos então para, quem sabe um dia, tenhamos o trio de volta. Claro, que os idealizadores do retorno entendam o nível profissional alcançado pelo futebol atual que não permite mais, por exemplo, que a sua diretoria seja um mero grupo de torcedores. Futebol é um negócio que não cabe mais sentimentalismo.

 

CAMALEÃO

 

Diferente de outras temporadas quando dava trabalho aos seus adversários, dentro e fora de casa, já tendo inclusive conquista um título no certame estadual, a temporada 2021 não tem sido boa para o time do ASSU, também conhecido como “Camaleão do Vale”. Adversários não encontram dificuldades, mesmo jogando no Edgarzão, para meter goleada no representante da terra dos poetas. O time, dentro de campo, anda escorregando na rima e sem métrica. Precisa melhorar e muito se não quiser passar novos vexames.

 

A ARENA

 

Calma, não vou falar de política e relembrar o extinto partido da Aliança Renovadora Nacional (Arena). O assunto aqui é o palco maior do futebol no Rio Grande do Norte, a Arena das Dunas. Um investimento que ainda não se justificou. Aquela história de que “não se faz Copa do Mundo com hospitais”, foi uma tremenda bola murcha. Eis um bom exemplo, ou seja, o estádio João Machado comportaria muito bem os poucos jogos que Natal abrigou do mundial em 2014. Bastariam alguns reparos, como fizeram no Castelão em Fortaleza. Muito dinheiro investido que hoje geram prejuízos para manter a Arena das Dunas. Seria bom saber quem paga para o América jogar, por exemplo, contra Santa Cruz e o Força e Luz. Sem torcida, seja por proibição ou falta delas nos dois adversários.

  

COPA RN

 

Tudo pronto para começar o segundo turno do Campeonato Estadual norte-rio-grandense que já terá bola rolando a partir da terça-feira, dia 04 de maio. Nesta data o representante mossoroense na competição, o Potiguar, já estará em campo. Se desloca até Natal e, no estádio Frasqueirão vai encarar o time do Santa Cruz. No primeiro confronto do ano o time natalense levou a melhor, o alvirrubro ainda estava em formação e o trabalho não era dos melhores. Foi preciso mudar de presidente, treinador e alguns jogadores para o time vencer sua primeira partida e somar três pontos.

 

TIBAU

 

Uma pena os prejuízos causados pela pandemia da Covid-19. O esporte, como disse outro dia aqui no Toque Esportivo, também sente. Na cidade de Tibau-RN, por exemplo, observamos boa movimentação de pessoas praticando ciclismo e atletismo. Eventos que ocupavam parte da rodovia de acesso ao município, principalmente no período de final e início de ano. Infelizmente foi obrigado a uma parada por conta da pandemia. A cidade inclusive tem uma turma que até viaja para competições além fronteiras locais. Daqui nossos votos para que a turma não baixe a guarda, continue treinando e, quem sabe, em breve possam voltar a competir.

 

COMPLICADO

 

Tem algumas situações que ficam complicadas apontar culpados ou inocentes. Recentemente mais um jogador de futebol se envolveu em polêmica ao aproveitar o dia de folga e cair na farra. O quadro fica mais difícil quando esse atleta não vem bem em campo e é alvo de críticas da mídia e da torcida. Mas, fica o questionamento, ele não estava de folga? Na folga do trabalhador, seja ele qual for, ele pode ou não aproveitar da maneira que lhe convém? Para o atleta de alto rendimento e em pleno período de competição essa situação fica muito complicada.

 

Rapidinhas

 

  • COPA América e eliminatórias do mundial chegando. Desfalques certos para vários times.

 

  • OLIMPÍADAS, faltam 03 meses. Japão preocupado com 4ª onda do coronavírus e ritmo da vacinação.

 

  • ATLETAS japoneses não tomarão vacina chinesa. China ofereceu e Japão recusou.

 

  • DECISÃO, América-RN x Globo, primeiro turno do estadual. Neste domingo, 02.