O Papa abre a 74ª Assembleia Geral da Conferência Episcopal Italiana

O Papa Francisco abriu os trabalhos da a 74ª Assembleia dos Bispos Italianos na tarde de 24 de maio. O ponto central será o caminho sinodal partindo de baixo ao qual a Igreja italiana é chamada a empreender

Vatican News

Seminários, tribunais eclesiásticos e Sínodo. Estes são os três temas que o Papa Francisco abordou com os bispos italianos ao abrir a 74ª Assembleia Geral, de 24 a 27 de maio em Roma. “Anunciar o Evangelho em um tempo de renascimento – Iniciar uma viagem sinodal” é o tema escolhido pela assembleia, que também terá a tarefa de eleger dois vice-presidentes, para a área Norte e a área Centro, os membros do Conselho para Assuntos Econômicos e os presidentes das Comissões Episcopais.

Antes de proceder com perguntas e respostas, o Papa se deteve sobre estes pontos. Quanto ao Sínodo, ele lembra que deve começar de baixo para cima, nas pequenas comunidades, nas paróquias. Um processo que exigirá paciência e trabalho, fazendo as pessoas falarem, para que “a sabedoria do povo de Deus venha à tona”. Neste caminho sinodal ao qual o Papa Francisco exortou a Igreja italiana, é central retomar as linhas traçadas na Conferência de Florença em 2015, “uma herança” que deve “iluminar este momento”. Não se deve, portanto, perder a memória dela. O Papa também apontou o perigo de “erros na formação” e pediu “prudência na admissão de seminaristas”.

O caminho sinodal da Igreja italiana também esteve no centro das palavras de saudação do Cardeal Gualtiero Bassetti, presidente da Conferência. “Vossa Santidade”, disse o cardeal, “neste caminho pedimos seu encorajamento, sua oração e sua bênção paterna”. Então, o Cardeal Bassetti se referiu ao documento do Sínodo dos Bispos para um maior envolvimento do povo de Deus, que “nos apoia” no processo que “queremos iniciar”. Trata-se de um processo que começa de baixo para envolver o Povo Santo de Deus.