O MUNDO DA INVEJA

O mundo capitalista está em fase de transformação avançada e por isso tem subtraído da sociedade os seus bens mais essenciais que são seus princípios baseados na moral, na ética e no respeito ao próximo. Infelizmente estamos vivendo numa sociedade em que prevalece o individualismo, a inveja, o quanto pior melhor, a falta de consideração, a ingratidão, a desunião, a falta de amor, a covardia, o rancor, a inveja e por aí vai.

Na verdade não está fácil sobreviver em um mundo onde o dinheiro está em primeiro lugar, enquanto o ser humano perdeu totalmente o seu valor. Modificar essa realidade não é tarefa fácil, pois as pessoas estão a cada dia mais convencidas de que ter dinheiro fácil é o caminho para obter destaque dentro da sociedade, já que hoje se valoriza mais o ter do que o ser.

Tudo isso, só tem gerado mais dificuldades para quem quer viver dentro de um padrão de normalidade, respeitando os princípios básicos da família, do bom costume e da boa convivência. Esse modelo social que está em transformação tem trazido muito mais malefício do que benefícios, isso porque, incentiva a rivalidade, a competitividade, o sucesso a todo custo, se sobressair passando por cima dos outros etc, esquecendo tudo aquilo que uma sociedade precisa para pelo menos ser solidária e viver em harmonia.

SEM VOLTA
A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tirou qualquer chance da prefeita eleita pelo voto, Cláudia Regina, de retornar ao comando do município. E o pior, de disputar qualquer eleição por oito anos. Cláudia viu sua carreira política ser cerceada pela Justiça, interrompendo um crescimento pessoal que vinha tendo a aprovação popular. A decisão do TSE em manter a cassação nos dez processos que existiam liquidou qualquer pretensão política nas próximas eleições, embora não impeça que a ex-prefeita exerça papel importante dentro do processo, já que é presidente de um grande partido o DEM.

ROMPIMENTO
O ex-prefeito e líder da oposição de Alexandria, Alberto Patrício, anunciou de forma direta o seu rompimento com o governador Robinson Faria. Alberto se sentiu “traído por não ter pleitos atendidos no governo e ainda ter visto aliados seus sendo desprestigiados”. O ex-prefeito não suportou ver correligionários sendo passados para trás e saiu em defesa de todos, o que culminou com o rompimento.

CANDIDATO
O ex-prefeito Alberto Patrício monta grupo para ser candidato a prefeito nas próximas eleições e tentar voltar ao comando da Prefeitura de Alexandria. Alberto ainda tem grande prestígio na cidade e deve enfrentar uma candidatura forte da situação que também trabalha nome de peso para a disputa. Uma disputa que promete ser das mais acirradas. Anotem!

RESOLVENDO
O prefeito de Almino Afonso, Lawrence Amorim, teve dificuldades em encontrar um terreno para adquirir e ampliar os cemitérios existentes no município, o que resolveria por um bom tempo a falta de lugares para sepultamento. Mas, houve um consenso e parte do terreno vizinho ao cemitério velho permitirá sua ampliação, o que irá melhorar a situação por um bom período.

AÇÕES DA POLÍCIA
A Polícia Militar está agindo no Alto Oeste com ações com o intuito de tirar de circulação os bandidos que estão atuando naquele setor. Com isso, muitos devem migrar para outras regiões. Já estava na hora, porque o Oeste precisa de mais apoio das polícias para reduzir a criminalidade. Está de parabéns a Polícia Militar.

PREMIADO

A cidade de Campo Grande ficou entre as 69 melhores em qualidade de vida no Estado, conforme pesquisa encomendada pela revista IstoÉ. Isso prova que a administração municipal vem zelando a coisa pública e se destacando no cenário estadual.  O prefeito Francisco das Chagas (Bibi de Nenca) não tem medido esforços para aplicar bem os recursos do município e melhorar a vida de seu povo.

DIFÍCIL
Mossoró precisa investir e melhorar as condições do sistema de saúde. A cidade cresce, mas esses serviços continuam sem receber a devida atenção e o resultado é o sofrimento da população para conseguir um bom atendimento em toda parte. A demanda crescente e a falta de compromisso de nossas autoridades têm deixado as unidades de saúde com capacidade mínima para o atendimento. É preciso se planejar mais. Essa é a realidade.