Notas da Redação

URGÊNCIA

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, passou por uma cirurgia cardíaca de urgência, na madrugada de hoje, sendo atendido no município de Teixeira de Freitas (BA). Marinho, onde um stent foi colocado.

FÉRIAS

Rogério estava chegando a Porto Seguro, onde passaria as férias com a família. Diante de mal súbito, procurou assistência médica, sendo diagnosticado obstrução arterial, princípio de infarto, sendo transferido para Teixeira de Freitas. Deverá receber alta ainda neste sábado.

CANDIDATURA

O deputado federal Benes Leocádio lançou seu nome como candidato a governador, fazendo dobradinha com o ministro Rogério Marinho, que pretende concorrer ao Senado da República. Os dois estão procurando apoios entre os diversos grupos políticos estaduais.

FÔLEGO

É preciso resistência suficiente para que os dois cheguem às vésperas das eleições com as candidaturas mantidas e tornadas viáveis. A candidatura de Benes tem mais independência, enquanto a de Rogério Marinho precisa do beneplácito do presidente Bolsonaro.

UNIÃO

Logo de início verifica-se que as oposições à governadora Fátima Bezerra terão dificuldades em conseguir um nome que consiga o apoio unânime dos partidos, facilitando o trabalho da governadora Fátima Bezerra em conseguir sua reeleição.

NOMES

No momento, o deputado Benes não consegue viabilizar esse projeto, seja por falta de liderança ou pelo desejo de outros políticos na disputa pelo mesmo posto. O que se comenta é que ele teria dificuldades em se reeleger e, portanto, não teria nada a perder.

TRADICIONAIS

Entre os nomes mais tradicionais não existe ninguém com projeto de disputar a sucessão de Fátima. Garibaldi Filho, José Agripino, Fernando Bezerra, Robinson Faria, Henrique Alves, nenhum deles está disposto a concorrer ao governo do estado.

VICE

Nos bastidores, comenta-se que o ex-governador, ex-senador, ex-ministro Garibaldi Filho está sendo procurado para compor a chapa oficial, como candidato a vice-governador, ao lado da governadora Fátima, projeto que parece sensibilizar os dois grupos.

ESCURIDÃO

Os prefeitos de Mossoró, sem exceção, não conseguiram iluminar as ruas da cidade, mesmo com a ajuda da Cosern que fez doaçã9 de milhares de lâmpadas de LED. O atual prefeito segue no mesmo caminho. A taxa de iluminação pública, entretanto,