Notas da Redação

 

OPOSIÇÃO

O ministro Rogério Marinho articula com deputados, prefeitos, vereadores e demais lideranças a formação de bloco político para apoio a candidato à sucessão da governadora Fátima Bezerra.

NOME

O ministro defende que esse nome seja anunciado o mais breve possível, mas descarta a possibilidade de ser o candidato; “não serei eu o candidato. Não sou candidato a governador”, assegurou.

SENADO

Marinho pretende organizar a oposição ao governo Fátima Bezerra, tentando unir os apoiadores do presidente Bolsonaro, enquanto procura fortalecer o seu nome como possível candidato a senador, dentro do projeto de fortalecimento político do presidente da República.

MAIORIA

Ao contrário do que acontece com a CPI da Covid no Senado, onde o presidente Bolsonaro tem minoria de parlamentares, no Rio Grande do Norte vai se formando a convicção de que a governadora Fátima Bezerra está conseguindo maioria favorável entre os deputados estaduais.

DESPEJO

O Congresso aprovou, ontem, projeto de lei da deputada federal Natália Bonavides (PT/RN) e dos deputados André Janones (Avante-MG) e Rosa Neide (PT-MT) que impede despejos, desapropriações ou remoções forçadas até o dia 31 de dezembro de 2021, devido à pandemia.

PRORROGAÇÃO

Enquanto isso, o presidente do Senado autorizou a prorrogação da CPI da Covid por mais três meses. Caso não tivesse essa autorização, o senador Renan Calheiros apresentaria seu relatoria que já estaria redigido.

DISTRITÃO

A relatora do projeto de reforma política na Câmara, deputada Renata Abreu (Podemos-SP), incluiu em sua proposta o sistema do distritão para 2022, onde seriam eleitos os candidatos mais votados, independentemente do peso que tenha cada partido.

ZERO TRÊS

Enquanto era transferido de Brasília para São Paulo, o twitter do presidente Bolsonaro divulgou mensagem acusando PSOL e PT pela situação de saúde em que se encontra. O que se acredita é que o texto foi postado pelo filho Carlos Bolsonaro, o Zero Três.

LIDERANÇA

O deputado federal Ricardo Barros (Progressistas-PR) está com os dias contados como líder do governo na Câmara. O governo está sugerindo que Barros renuncie ao posto, evitando mais desgastes para a administração Jair Bolsonaro.

ALTA

Pesquisa Datafolha mostra que 56% da população afirmam já ter se vacinado e 38% dizem que têm intenção de fazê-lo. Os dados mostram que a adesão às vacinas chega a 94% da população, contrariando discurso em contrário de representantes do governo federal.