Notas da Redação

OXIGÊNIO

Por conta das ações de governos anteriores, construindo fábricas de oxigênio em Mossoró, não haverá problema de abastecimento do produto durante a atual crise na Saúde. O mesmo não acontece com outros 60 municípios que estão em dificuldades para adquirir o gás tão necessário no atendimento a pacientes com Covid-19.

REDUÇÃO

A empresa White Martins, responsável pelo fornecimento de oxigênio à SESAP, está deixando de atender às demandas do setor industrial para poder aumentar o fornecimento para a saúde.

VACINAÇÃO

A Paraíba inicia hoje a vacinação para os que estão com 64 anos acima. No Ceará, a faixa etária para hoje é dos velhinhos com 73 anos. No Rio Grande do Norte, ainda será iniciada a vacinação dos que estão com 74 anos. Por que essa diferença na faixa etária?

MINISTÉRIO

Quando a ex-presidente Dilma Roussef nomeou Lula para ministro da Casa Civil, foi acusada de proteger o ex-presidente para que ganhasse imunidade e não fosse preso pela Polícia Federal. O ato foi tornado sem efeito pelo Supremo Tribunal Federal.

PAZUELLO

Situação semelhante enfrenta o atual ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, com vários inquéritos para investigação de displicência em relação ao combate à Covid-19, falta de oxigênio em Manaus e recusa da compra de vacinas em tempo hábil quando surgiu a oportunidade.

AMAZÔNIA

A criação do Ministério da Amazônia, em cogitação, seria a maneira de deslocar general Pazuello para um novo posto onde ele manterá sua imunidade atual, evitando que possa ser preso por conta dessas investigações. Desta vez, o STF não deverá interferir.

ACEFALIA

Governadores e Secretários de Estados da Saúde declaram que o Ministério da Saúde está acéfalo. Consideram que temos dois ministros e, na verdade não temos nenhum. O novo ministro foi nomeado há uma semana mas só deverá assumir na quinta-feira.

CPI

No Senado, a pressão pela CPI da Saúde está aumentando. O presidente Rodrigo Pacheco (DEM-MG) se diz contra, mas, após a morte do senador Major Olímpio (PSL-SP), o terceiro por covid, tem declarado que não sabe até quando poderá evitar a investigação.

COORDENAÇÃO

Por todo Brasil, a situação crítica que atingiu a pandemia exige a coordenação do presidente, ações do Ministério e toda colaboração dos poderes, governadores, prefeitos e instituições, mas não é o que vem acontecendo, disse no Twitter o senador Rodrigo Pacheco.

EMPRESÁRIOS

Após um ano do início da pandemia do novo coronavírus, a iniciativa privada se reuniu para cobrar políticas de saúde mais assertivas contra a crise sanitária. Está disposta a adquirir vacinas com recursos próprios, repassando-as ao ministério da Saúde, se o governo concordar.

DOCUMENTO
Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles, do Itaú Unibanco, Pedro Parente, da BRF, e os ex-presidentes do Banco Central Ilan Goldfajn e Armínio Fraga estão entre os signatários de documento entregue ao presidente Bolsonaro, cobrando mais atuação do governo federal em relação à pandemia do covid-19.

INFLAÇÃO

Para Maílson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda, “sem o controle da pandemia, não há como vencer a recessão. Não há como expandir a atividade econômica”. A vacina continua sendo a maneira mais direta para combater o vírus.

REAÇÃO

Entretanto, após receber a carta dos  economistas e banqueiros, divulgada na imprensa, cobrando uma ação mais efetiva de Jair Bolsonaro no combate à pandemia, o  presidente afirmou que o setor privado acredita na sua gestão.

SEGURANÇA

Segundo o Estadão, houve um aumento de 285% no número de inquéritos feitos com base na LSN apenas nos dois primeiros anos de desgoverno de Jair Bolsonaro, na comparação com o mesmo período dos mandatos dos dois presidentes antecedentes.  Entre 2015 e 2016, foram abertas 20 investigações; entre 2019 e 2020, 77 inquéritos.