Notas da Redação

POVO

O prefeito Allyson Bezerra não inovou ao declarar, em seu discurso de posse, que o povo chegava ao poder. Bem antes dele, Lenin, Hitler, Getúlio Vargas, e muitos outros, usaram o mesmo chavão.

DIVERGÊNCIA

Em conversa com importante liderança estadual, o prefeito Allyson Bezerra revelou que encontraria uma prefeitura organizada e com dinheiro em caixa para administrar Mossoró. De repente, decide decretar estado de calamidade administrativa e financeira do município.

PIROTECNIA

A decisão de decretar estado de calamidade pública financeira e administrativa pode ter finalidade política, como a de desacreditar o gestor anterior. Rosalba recebeu a prefeitura de Francisco José em condições dezenas vezes mais graves, mas optou por enfrentar o desafio.

FACILIDADES

Por outro lado, o estado de calamidade possibilita a antecipação de benefícios sociais liberação de seguros e prorrogação de pagamentos de empréstimos federais para os entes federados.

ESTILO

Pelas primeiras atitudes, ninguém duvide que o prefeito Allyson Bezerra seguirá o mesmo estilo do presidente Bolsonaro, que continua bem avaliado nas pesquisas de opinião públia. Ao menos, até o momento atual.

DESCARREGO

Até mesmo um pastor evangélico promoveu uma sessão de descarrego no gabinete do prefeito de Mossoró que segundo ele, estava amaldiçoado. Esse mesmo pastor foi visto em reuniões de apoio aos candidatos Rosalba Ciarlini e Isolda Dantas.

RELIGIÃO

No ato de posse, houve exagero nos apelos evangélicos. Vários pastores usaram da palavra. O público, empolgado, não deixava de repetir “amém, amém, amém.”

ADUTORAS

Muito se falou que as adutoras dariam fim ao uso do carro-pipa. Entrando no sexto dia consecutivo de falta d´água em Tibau, é bom lembrar que, em 50 municípios do estado, aina são abastecidos regularmente por carro-pipa.

PRESENTE

Do ex-senador José Agripino: “Parece que o governo ainda não entendeu que o presente de Natal que o brasileiro está esperando é o anúncio da data em que ele vai poder se vacinar. A segunda onda chegou com força e o medo voltou.”

DPVAT

Proprietários de veículos não terão que pagar o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores (DPVAT), em 2021. O Seguro foi criado em 1974  para amparo as vítimas de acidentes de trânsito em todo o país, não importando de quem seja a culpa dos acidentes.