NOSSOS POETAS – Cláudia Michelly

Cláudia Michelly Alves Tavares Cortez, nasceu em Patu/RN em 06 de julho de 1980,  foi criada em Olho D’água do Borges/RN e atualmente reside em Mossoró. É filha de Francisco Tavares da Silva e Maria Elizabete Alves, graduada em Pedagogia pela UERN, especialista em Psicopedagogia e Mestra em Educação.  É membro da Academia de Letras e Artes de Patu/RN e funcionária da rede estadual e municipal de ensino. Admiradora de todas as formas de expressões artísticas, defensora da inclusão e da valorização dos saberes popular é uma sonhadora confessa, que acredita no bem, na evolução humana e ver as artes como uma porta de acesso para despertar o que o ser humano tem de melhor. Já publicou os cordéis: Economia, Educação e Humanização; A Construção dos Modernos Sistemas Educativos; A Cegueira Política; A Força de Um Olhar; Eu Quero Sabedoria; A Chuva. E defendeu a dissertação de Mestrado “Cordel: saberes da literatura popular local-global e sua interação com a cultura e o cotidiano de uma escola do campo”.

GRATIDÃO

 

Às vezes na correria

Deixamos de entender

Que a riqueza da vida

Não é apenas, o ter.

A gente só é feliz

Quando valoriza o ser.

 

Ser feliz, ser muito grato,

É ser duma dimensão

Que quando é necessário

Usa emoção ou razão

E jamais se preocupa

Se isso é contradição.

 

Assim a felicidade

Pode está no seu olhar

Procurando ver o mundo

Tecido como tear.

Os fios quanto mais junto

Mais belos irão ficar.

 

A LUA E SEUS ENCANTOS

 

Querida pelos poetas

Repleta de inspiração

A lua trás um encanto

Que não tem explicação

Nos deixa paralisado

Olhando na dimensão.

 

Tão simples e poderosa

Sabe bem como encantar

Nem mesmo os oceanos

Dela pode escapar

A sua força é intensa

Que chega a lhe puxar.

 

E se você não entendeu

O que estou a explicar

Saia agora do seu quarto

E veja como ela estar

Duvido que não se encante

Com esse brilho lunar.

 

TEMPO

 

Faz tanto tempo que não tem tempo

Que hoje nem sabe o que fazer com tanto tempo?

Sabemos que o tempo não é mais o mesmo tempo

O tempo é de espera

Mas é também tempo de encontro

Pois quem nunca achava o tão almejado tempo

Finalmente viu o tempo

De brincar um tempo

De conversa um tempo

De orar um tempo

Pena que tenha sido nesse tempo de coronavírus

Mas tempo é sempre tempo

Que cada um possa fazer o melhor com o seu tempo

Sem esquecer que é tempo de prevenção

É tempo de ficar em casa.