MPRN analisará mais de 300 denúncias de ‘fura fila’ na campanha de vacinação

Órgão garante que todas as medidas judiciais e extrajudiciais possíveis serão tomadas

Nesta quinta-feira (28), os canais de recebimento de denúncias do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), contabilizaram mais de 300 denúncias de ‘’fura fila’’ nos ambientes de vacinação contra o Covid-19.

Segundo o MPRN, os relatos são de pessoas que mesmo sem se enquadrarem nas categorias priorizadas neste momento, receberam a primeira dose do imunizante. Todas as informações fornecidas pela população estão sendo apuradas individualmente para verificar se houve o cometimento de crime ou ato de improbidade.

O órgão afirma que tomará todas as medidas judiciais e extrajudiciais para coibir ou, no caso de já ter acontecido alguma fraude, responsabilizar os agentes públicos e beneficiários envolvidos. No último dia 21, equipes do MP realizaram visitas surpresas nos locais onde a campanha de vacinação está acontecendo. A ação tinha por objetivo averiguar se as pessoas que estavam sendo imunizadas se encaixavam nos grupos prioritários descritos no plano de vacinação.

“O MPRN está atento e não medirá esforços para coibir os abusos e fraudes ao processo de vacinação contra a Covid-19 aqui no Estado. As promotorias de justiça da saúde em todo o RN estão expedindo recomendações e acompanhando a atuação das secretarias municipais de saúde, fizemos inspeções surpresa em pontos de vacinação e ainda faremos outras, solicitamos e tivemos garantido o acesso às listas de vacinados e estamos, através da PGJ e do CAOP Saúde, diuturnamente em contato com as autoridades estaduais e municipais, de modo a assegurar a distribuição e a regular aplicação dessas vacinas. Ademais, apuraremos todas as denúncias, buscando à responsabilização de eventuais infratores da fila de vacinação e outras irregularidades”, informou Eudo Leite, procurador-geral de Justiça.

Para recebimento de informações sobre crimes em geral, o MPRN disponibiliza o Disque Denúncia 127. A ligação é gratuita e a identidade da fonte será preservada. Além do telefone, denúncias também podem ser encaminhadas por WhatsApp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para [email protected]

Deixe um comentário