Motoristas terceirizados que prestam serviços ao Samu param por falta de pagamento

Devido ao atraso no pagamento por parte da Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM), as empresas que prestam serviços terceirizados ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) pararam as atividades. Com isso, parte dos atendimentos do Programa de Assistência e Mobilidade Social de Mossoró (Praem) foi suspensa. A informação é do diretor do Samu, Giliano Carlos, que esclarece que os serviços de atendimento a ocorrências pelo telefone 192 continuam mantidos.

“As três ambulâncias de suporte básico do Samu continuam circulando, pois dos 22 motoristas que temos, a maioria tem contrato assinado e está com pagamento em dia, mas os servidores terceirizados têm reclamado de atraso no pagamento. Com isso, alguns serviços do Praem foram suspensos”, explica o diretor.

Questionada sobre a paralisação dos serviços do Praem, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde informou que o último repasse destinado aos serviços nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) foi feito em 15 de setembro deste ano. No entanto, o contrato assinado entre a PMM e a empresa Certa prevê a cobertura dos atrasos nos repasses municipais pela terceirizada.

“As empresas terceirizadas devem manter o pagamento dos funcionários independente dos repasses pela Prefeitura pelo período de cobertura previsto no contrato. A previsão é que parte do montante atrasado às terceirizadas seja pago até o dia 15 deste mês. A Prefeitura tem trabalhado para reduzir as despesas e equilibrar as contas do município, que vem sofrendo queda na arrecadação”, informa a assessoria em nota.