Motoristas do transporte público recebem diárias de R$ 55 em vez de salários

Os motoristas do sistema de transporte público mossoroense amargam atraso salarial de mais de dois meses. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Mossoró (Sintrom), Francisco de Assis Medeiros, a Ocimar Transportes tem pago diárias de R$ 55, retirada diretamente do que é arrecadado com as passagens pagas em dinheiro.

“Pagam os R$ 55 quando tem. Além de atrasar os salários, a empresa também não tem depositado o pagamento do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e nem as contribuições do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) dos trabalhadores. Nunca havíamos enfrentado uma situação tão ruim, o transporte público mossoroense está regredindo”, disse o presidente.

Francisco de Assis conta que já procurou o Ministério Público (MP/RN) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) para denunciar as irregularidades cometidas contra os motoristas. Ele afirma que a categoria enfrenta ainda problemas na prestação de serviços em outras áreas, como o transporte escolar e questiona ainda as condições do atual sistema de transporte público da cidade.

“Mossoró deveria ter 30 ônibus circulando e cinco reserva, o que geraria emprego para pelo menos 60 motoristas, além dos contratados como motorista reserva. No entanto, isso nunca aconteceu. Também é preciso fazer uma vistoria nas condições dos ônibus que circulam hoje, já encontramos alguns até sem faltando janelas”, declara.

Questionado sobre a fiscalização da frota em circulação em Mossoró, o gerente municipal de mobilidade, Luis Correia, afirma que todos os veículos passaram por inspeção na época do chamamento público para contratação da empresa. Em relação aos problemas com o pagamento dos motoristas, ele afirma que não cabe à Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) intervir.

A equipe de reportagem do jornal O Mossoroense procurou a Ocimar para prestar esclarecimentos sobre as irregularidades no pagamento dos motoristas. No entanto, não conseguiu falar com os responsáveis pela empresa.