Mossoroense morre vítima na tragédia em Minas Gerais

O mossoroense Marcos Aurélio Moura foi mais uma vítima da tragédia do estouro de barragens em Mariana, Minas Gerais. O corpo foi reconhecido pela família na manhã de ontem.

Marcos Aurélio Moura tinha 34 anos e trabalhava na empresa Produquímica, terceirizada da Samarco. O enterro será no Cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo do Campo (SP), provavelmente hoje (14).

Além do mossoroense, o Corpo de Bombeiros encontrou outro corpo da tragédia, na região da cidade de Rio Doce, perto do município vizinho de Santa Cruz do Escalvado, a 100 quilômetros do distrito de Bento Rodrigues, em Mariana.

Até o fechamento desta edição, não havia informações se os restos mortais são de um homem ou de uma mulher, tampouco confirmação se o corpo é vítima da tragédia provocada pelo rompimento de duas barragens da Samarco Mineradora, cujos donos são a Vale e a BHP Billiton. O corpo foi levado para o necrotério de Mariana.

No dia 5 deste mês, as duas barragens se romperam, despejando 62 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério e água. O distrito de Bento Rodrigues foi destruído e centenas de pessoas ficaram desabrigadas. A lama alcançou outros distritos de Mariana, como Águas Claras, Ponte do Gama, Paracatu e Pedras, além da cidade de Barra Longa. Os rejeitos no Rio Doce afetaram dezenas de cidades na Região Leste de Minas Gerais e no Espírito Santo. Conforme os bombeiros, são 18 desaparecidos, sendo nove funcionários e nove moradores. Sete corpos foram identificados.