Mossoró tem 154 mulheres na disputa pelo voto nas eleições de 2020

Segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, Mossoró é mais uma vez palco do protagonismo feminino na política, fazendo jus à sua história. Em 31 de agosto de 1875, lideradas por Anna Floriano, Joaquina Maria de Góis e Maria Filgueira, cerca de 130 mulheres tomaram as ruas da cidade em protesto contra a obrigatoriedade do alistamento militar. O movimento conhecido como Motim das Mulheres é um marco da história local e têm destaque nacional. Passados 145 anos, mais uma vez elas saem em passeatas, agora reivindicando um município com mais saúde, educação, segurança e oportunidade de trabalho para população.

Estando na política desde 1989, Rosalba Ciarlini atual prefeita de Mossoró pelo Partido Progressista (PP), busca a reeleição com promessa de crescimento para a cidade, como propostas para saúde mossoroense, a construção de uma Unidade de Pronto Atendimento na região dos Abolições e a reabertura do PAM Odontológico. Há menos de um mês para a votação municipal, intensificou a campanha nas redes sociais, acompanhada do vice Jorge do Rosário do Partido Liberal (PL), está realizando visitas nos bairros e encontros com a juventude. Rosalba já foi governadora do Estado e é médica pediatra formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Natural de Patu (RN), a cientista social Isolda Dantas do Partido dos Trabalhadores (PT), também é candidata a prefeitura de Mossoró. Com forte atuação nos movimentos sociais, apresenta como propostas para educação pública a diminuição da evasão escolar e erradicação do analfabetismo na cidade. Ao lado do vice Gutemberg Dias, do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), aposta no voto da juventude para mudança do cenário político atual. Entrando na reta final da campanha, também impulsionou sua atuação nas redes sociais e está realizando reuniões com os docentes do município. Isolda já foi vereadora de Mossoró e atualmente é deputada estadual.

Compondo o time, a candidata pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) Irmã Ceição, têm como foco das propostas o avanço econômico de Mossoró. Foi vereadora em 2008 e também diretora da Unidade Básica de Saúde Mário Lúcio de Medeiros, em 2013. Ao lado da companheira de chapa Nuhara Oliveira, do Partido da Mobilização Nacional (PMN), conta com o apoio dos eleitores do presidente Jair Bolsonaro para ser eleita. Apesar da tímida interação nas redes sociais, a candidata está realizando convenções a fim de atrair novos votantes.

Pelo partido Democratas, a candidata Cláudia Regina completa essa lista. Bacharela em direito pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), retorna depois de 7 anos para concorrer à prefeitura da cidade que lhe elegeu anteriormente como vice-prefeita em 2004 e vereadora em 2009.  Entre suas propostas, está a implementação da Ronda Cidadã e a criação do aplicativo de vídeo monitoramento para diminuir o índice de criminalidade no município. Com uma campanha ativa nas redes sociais, a candidata e seu vice Daniel Sampaio do Partido Social Liberal (PSL), segue fazendo passeatas nos distritos da cidade. Cláudia já foi prefeita de Mossoró mas teve que se afastar do cargo por acusações de abuso de poder econômico nas eleições de 2012.

Enquanto se acompanha os desdobramentos nocivos do Coronavírus sobre a vida das mulheres, essas candidatas tomam as ruas na luta por um país mais justo e igualitário, exemplificando a competência feminina para ocupação de cargos de liderança política. Com 300.618 habitantes, Mossoró elegerá no dia 15 de novembro, 23 parlamentares para Câmara Municipal. Entre os 473 candidatos a vereadores, por volta de 150 são mulheres. Mesmo que o número ainda seja baixo, o Rio Grande do Norte foi o único estado a eleger uma governadora nas eleições de 2018.

Lembrando que a Lei Eleitoral estabeleceu um total mínimo de 30% candidaturas femininas para cada partido.