Meteorologista da Emparn diz que 2016 deve ser ano de chuvas abaixo da média

Diferentemente do que foi postado em diversos blogs, o meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn), Gilmar Bristot, afirma que o El Niño deverá influenciar negativamente o regime de chuvas no Nordeste no próximo ano. Ele explica que o fenômeno afetará o início do período chuvoso no Rio Grande do Norte, no mês de fevereiro de 2016, ano que deverá ter chuvas abaixo da média.

“A previsão de meteorologistas e pesquisadores é que haja uma anomalia, alteração, de 1º C a 1,5º C no oceano Atlântico por causa do El Niño, o que afetará negativamente o início do regime de chuvas. Até o momento, as previsões são de que 2016 acabe também se configurando como ano de chuvas abaixo da média”, afirma o meteorologista.

O Rio Grande do Norte vive seu quarto ano consecutivo de seca. A previsão de que o volume de chuvas do próximo ano fique aquém do normal reaquece o debate sobre o futuro das cidades e da economia no RN. Em junho deste ano, a Emparn declarou que o Estado vive a pior seca dos últimos 100 anos e, atualmente, 153 dos 167 municípios potiguares estão em estado de calamidade pública por falta de água.

Embora não enfrente problemas mais graves devido à seca como vivenciado por cidades como Caicó, onde a cobrança de água chegou a ser suspensa pela Companhia de Água e Esgotos do RN (Caern), mais um ano de seca pode acarretar consequências danosas ao município, não só na área de abastecimento, mas também para a fruticultura irrigada.

Devido à insegurança hídrica, alguns produtores de frutas informaram que não expandiram a produção este ano em Mossoró, mesmo com demanda aquecida no mercado internacional.