LAÍRE ROSADO: Retrovisor

Tenho acompanhado entrevistas do prefeito Allyson Bezerra e de alguns dos seus secretários. Fico preocupado com o desencontro de informações e, também, o desconhecimento da situação municipal. Dizer que a administração anterior não repassou os dados da prefeitura é pouco convincente e inaceitável.

É preciso entender que a campanha terminou. Allyson ganhou, derrotando Rosalba Ciarlini. Continuar administrando pelo retrovisor pode até sustentar o discurso por mais alguns dias. Entretanto, a estratégia é pouco convincente. Dentro de mais alguns dias o eleitor cobrará do prefeito o abastecimento dos postos de saúde, UBSs e UPAs. Os pais exigirão maior atenção à educação dos filhos estudantes em escolas municipais. A Zona Rural vai gritar pela solução dos problemas. E por aí afora.

A situação me faz lembrar o comportamento do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves.  Ele me disse, textualmente, que havia prevenido seus secretários de que não aceitaria nenhuma crítica em relação ao governo anterior, pois, havia sido eleito sabendo a situação difícil em que se encontrava o município. Sendo assim, queria resultados, e não o lenga-lenga de acusar o antecessor, que mais pareceria sinal de incompetência.

Dito e feito. Carlos Eduardo saneou a administração do município e foi reeleito prefeito de Natal, logo no primeiro turno, com 63,42% dos votos válidos.