LAÍRE ROSADO: General Pazuello poderá deixar o Ministério da Saúde

PAZUELLO PODERÁ DEIXAR A SAÚDE

O general Eduardo Pazuello pediu demissão do cargo de Ministro da Saúde. Telefonou ao presidente Jair Bolsonaro e alegou problemas de saúde para o afastamento, o que parece não ser verdade. O mais provável é que o presidente Bolsonaro tenha sido pressionado pelos deputados do “Centrão”. Entretanto, o principal adversário dos últimos ministros da Saúde foi o próprio presidente da República.

 Pazuello foi nomeado com fama de ser estrategista de primeira linha. Não conseguiu demonstrar essa qualidade. Afinal de contas, ele teria que cuidar de “uma gripezinha”, e não um problema tão sério como a pandemia da Covid-19.

A cardiologista  e intensivista Ludhmila Hajjar, embora não tenha recebido nenhum convite para substituir o general Pazuello é o nome mais cotado para assumir o ministério da Saúde. Deverá exigir autonomia total para aceitar o possível convite para a função. A médica conta com o apoio de parlamentares de partidos como o DEM e o PP , embora ainda não tenha recebido nenhum convite oficial do governo. Ela fez parte da comissão que se reuniu com Bolsonaro para discutir a falta de eficiência da cloroquina no tratamento da Covid-19, e é defensora de medidas de distanciamento social e vacinação em massa.

Em entrevistas no ano passado, Hajjar disse que “cloroquina não é vacina” e que não existe, ainda, tratamento para a doença e que, portanto, a melhor estratégia era a intensificação das medidas de isolamento social.

O Brasil, hoje, é o epicentro da pandemia no mundo, mas o presidente Bolsonaro poderá aproveitar a substituição do general Pazuello para substituir outros ministros, como Educação, Relações Exteriores, Minas e Energia, Casa Civil e Secretaria de Governo. Isso acontecendo, deverá ser motivado pelo efeito da volta do ex-presidente Lula ao tabuleiro eleitoral