Josivan Barbosa afirma que maioria do PT é favorável a manter aliança com Silveira Jr.

O ex-reitor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) e ex-secretário municipal de Planejamento, professor Josivan Barbosa (PT), considera improvável a possibilidade de lançamento de candidatura própria do Partido dos Trabalhadores (PT) à Prefeitura de Mossoró em 2016.

A tendência mais concreta, segundo ele, é que a legenda mantenha a vaga do companheiro de chapa do prefeito Francisco José Júnior (PSD), hoje ocupada pelo vice-prefeito Luiz Carlos Mendonça Martins (PT).

“Recentemente, fizemos três reuniões, envolvendo todas as tendências do PT. E percebemos que são poucas as pessoas que estão pensando diferente desse projeto de continuar alinhado à gestão municipal, apresentando o candidato a vice na chapa à reeleição de Francisco José Júnior. Digo que não são 10% hoje os que pensam diferente disso”, afirma Josivan.

O professor reforça que tem sido pouco analisada a questão da candidatura própria do PT a prefeito de Mossoró em 2016, o que reforça a tese da continuidade da aliança PSD e PT na próxima sucessão mossoroense.

A tese da candidatura própria do PT é levantada por setores insatisfeitos com a aliança com o prefeito Francisco José Júnior e a com participação na gestão municipal. E ganhou força, sobretudo, em julho deste ano, quando Luiz Carlos assumiu interinamente a PMM.

COLABORAÇÃO
Sobre seu atual papel no partido, Josivan Barbosa conta que se reaproximou da linha governista do PT, sobretudo, a partir do seu trabalho da Secretaria Municipal de Planejamento, de fevereiro a outubro deste ano. Vale salientar que, na eleição suplementar de 2014, ele continuou alinhado à candidatura de Larissa Rosado, enquanto o PT formalmente apoiou Francisco José Júnior, inclusive, indicando Luiz Carlos como vice.

“Minha posição dentro do partido é sempre de somar. Eu era pré-candidato a prefeito em 2012. Apresentei meu nome, ganhamos as prévias, mas o partido em Mossoró, no Rio Grande do Norte e no País quis que eu fosse candidato a vice (de Larissa). E eu ajudei. Quando chegou à eleição seguinte (suplementar 2014) não tinha como mudar o projeto, eu continuei apoiando o mesmo projeto (Larissa). Houve uma discordância do partido, mas eu continuei, achei que deveria ser mantido, porque como é que, em pouco mais de um ano, você diz à população que o projeto anterior não era bom? Eu fiquei livre e o partido também ficou para analisar”, conta.

Mas, segundo ele, o contexto é diferente, inclusive, continua colaborando com Francisco José Júnior, mesmo tendo pedido demissão da pasta de Planejamento. “Fui escolhido secretário de Planejamento para exercer um trabalho e isso me reaproximou muito do PT, de forma que estou trabalhando sendo um elo entre o prefeito e o partido”, diz Josivan Barbosa, acrescentando que se sente completamente à vontade no PT hoje.