Risco de faltar oxigênio é real para quase 60% dos municípios do RN

O Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Norte (Cosems-RN) é quem manda avisar. Não é nada confortável a  situação para compra  de oxigênio nos municípios potiguares.

No levantamento realizado entre os dias 17 e 18 de março pelo próprio Conselho, foi constatado que 59,82% dos municípios do Estado já receberam sinal de alerta de fornecedores sobre  possível dificuldade em abastecimento de oxigênio.

Outros 11,11 % de municípios sinalizaram que o estoque de oxigênio é insuficiente para atender a demanda atual.  Apenas 29,05% de municípios sinalizaram não haver dificuldades com o estoque de oxigênio.

 

 

O monitoramento também apontou que, atualmente, 54,2% dos municípios estão com dificuldades em comprar oxigênio, que 84,7% não possui sistema de gases canalizados, que 97,7% não possuem tanques de oxigênio e que 88,5% têm necessidade em aumentar o número de cilindros em suas estruturas.

 

 

A preocupação foi encaminhada ao Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e à Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN) e o aviso  sobre o possível colapso no abastecimento de oxigênio.

Território Livre -TN