Hospital Wilson Rosado deixa de receber pacientes na UTI pediátrica devido a atraso no pagamento pela PMM

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica do Hospital Wilson Rosado não receberá mais pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de hoje. A suspensão dos atendimentos às crianças foi motivada pelo atraso de cinco meses de aluguel do espaço onde funcionam 10 leitos de UTI por parte da Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM).

“Estão em atraso os pagamentos referentes aos meses de junho, julho, agosto, setembro e outubro, totalizando R$ 717 mil. Mantivemos a unidade aberta, mesmo com os atrasos, e a Prefeitura ficou de pagar um dos cinco meses de aluguel na terça-feira da semana passada, depois pediu para prorrogarmos para sexta-feira passada, 13, mas não cumpriu com o combinado”, disse o diretor-administrativo do Hospital Wilson Rosado, Marcos Moura.

O diretor ressalta que as oito crianças que atualmente estão sendo atendidas na UTI pediátrica não serão afetadas e devem continuar com o tratamento até que recebam alta ou tenham condições de ser transferidas para outras unidades. O Hospital Wilson Rosado é o único que oferta leitos de UTI pediátrica na cidade.

“Meu filho está muito debilitado e depende de aparelhos para respirar. Os médicos nos disseram que poderemos continuar com o tratamento até que ele receba alta, mas tenho medo que, por causa do atraso no aluguel, transfiram meu filho para Natal, o que, além de arriscado para ele, seria muito desgastante para mim e toda a minha família”, conta a mãe de uma das crianças atendidas na UTI do Hospital Wilson Rosado.

Outro problema apontado pela mãe de um bebê internado na unidade é a possibilidade de saída de alguns médicos do serviço. Ela explica que, junto com outras mães de crianças internadas na UTI, procurou a Promotoria de Saúde na semana passada. “Nos disseram que vão abrir investigação sobre o caso”, relata.

Questionada sobre o atraso no pagamento do aluguel do espaço onde funciona a UTI pediátrica, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde informa que o valor equivalente a um mês do contrato será pago até o final desta semana. No entanto, a assessoria não informou quando deve ser quitada a dívida com o Hospital Wilson Rosado.

“Os 10 leitos de UTI pediátrica têm funcionado exclusivamente com recursos da Prefeitura de Mossoró. O Hospital Wilson Rosado aluga o espaço e a Prefeitura arca com os custos da manutenção dos leitos e pagamento das equipes médicas. No ano passado, a Secretaria Municipal de Saúde entrou com ação contra a União e o Governo do Estado para que eles também contribuam com o serviço, que é de responsabilidade de todos”, declara a assessoria em nota.

Mossoró voltará a não dispor de leitos de UTI pediátrica

Os 10 leitos de UTI pediátrica no Hospital Wilson Rosado começaram a atender pacientes do SUS n ano de 2013, após a morte de uma menina de um mês e quatro dias de vida, no Hospital Regional Tarcísio Maia, no mês de março daquele ano. Com a suspensão dos atendimentos de novos pacientes na UTI esta semana, a cidade volta a não dispor de leitos voltados para o tratamento de crianças de alto risco a partir de 29 dias de vida.

“Meu filho nasceu após apenas cinco meses de gestação, passou cinco meses internado na UTI e todos os meses precisa voltar para usar aparelhos para melhorar a respiração. Embora ele esteja melhorando, tenho medo que a cidade volte a ficar sem UTI pediátrica e eu tenha que levá-lo a Natal”, disse uma mãe.

De acordo com o diretor do Hospital Wilson Rosado, Marcos Moura, a unidade só voltará a atender novas entradas de pacientes quando a PMM quitar, pelo menos, um mês de aluguel em atraso. Até lá, as crianças que necessitarem de atendimento devem ser transferidas para outros município, como a cidade de Natal.