Hospitais privados lotam no pior mês da pandemia em Curitiba

De acordo com o governo do Paraná, no SUS a taxa de ocupação de UTI por Covid-19 é de 92% na região leste do estado, que engloba Curitiba, região metropolitana e Paranaguá. Em outubro, a capital paranaense teve uma média de 300 por dia, número que foi para 1.302 esta semana

 Hospitais em Curitiba (PR) como Marcelino Champagnat, Sugisawa e Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG) publicaram, desde 20 de novembro, comunicados em suas redes sociais alertando que 100% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estavam esgotados. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), no SUS a taxa de ocupação de UTI por Covid-19 é de 92% na região leste do Paraná, que engloba Curitiba, região metropolitana e Paranaguá. Em todo o Estado, o índice é de 83%, de acordo com relatos publicados em reportagem da BBC.

“É estatístico: pelo menos 10% dos pacientes com covid internam e, entre esses, 10% em média vão para a UTI. Acima de 1 mil casos todos os dias, o sistema satura”, afirma o diretor do HNSG e presidente da Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná (Femipa), Flaviano Ventorim.

Em outubro, a capital paranaense teve uma média de 300 por dia, número que foi para 1.302 na terça-feira passada (1), com 13 mortes pela doença. A taxa de transmissão está em 1,22, ou seja: 100 pessoas com a doença transmitem para outras 122, o que indica uma aceleração da pandemia.

O Rio Grande do Sul também enfrenta uma segunda onda de infecções. Em novembro o estado teve mais casos do que outubro e quase o mesmo de agosto, pico da pandemia em território gaúcho.

Esta semana diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que o Brasil precisa “levar a sério” o aumento dos casos de Covid-19.

O País ocupa o terceiro lugar no ranking global de casos do coronavírus (6,4 milhões), atrás da Índia (9,5 milhões) e dos Estados Unidos (14,3 milhões). Em número de mortes o Brasil está na segunda posição (174 mil) – na primeira estão os EUA (279 mil).

Fonte Brasil247