Guardas civis municipais paralisam atividades em unidades de saúde

Com plantões atrasados há 72 dias, a Guarda Civil Municipal se retirou das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

Segundo o diretor regional do Sindguardas-RN, Rillen Rossy, representantes da Guarda teriam procurado a Secretaria de Administração do município, mas não foram recebidos, e que, por intermédio de um funcionário identificado por Marinaldo, haviam recebido a informação para que “esperassem”.

Em nota divulgada na página do Sindicato em uma rede social, os representantes da classe questionam ainda uma declaração do secretário de Segurança Pública de Mossoró, Alvibá Gomes: “Repudia (o sindicato) as inverdades ditas pelo sr. secretário municipal de Segurança Pública, Alvibá Gomes, no Programa Cenário Político, da TCM, da última segunda-feira, 09/11. Naquela oportunidade o sr. secretário informou que a pauta de reivindicações da categoria havia sido cumprida, o que NÃO É VERDADE”, informa a nota.

A nota também diz que vários pontos da pauta ainda estão abertos e que está havendo “omissão e insensibilidade da gestão municipal”, e cita pontos como a mudança de classe da primeira turma, revisão de adicional noturno e intrajornada e a seleção interna para inspetor e subinspetor.

Rillen informou que existe na Guarda Municipal uma escala de serviços “normal” e outra considerada “extra”, são os plantões referentes a esta última que estão em atraso.

“Os servidores que atuam na escala ‘normal’, como, por exemplo Cobal e praças, estão trabalhando normalmente, mas quem é da escala ‘extra’ está paralisado por tempo indeterminado”, sentenciou.
O Mossoroense tentou contato com a Secretaria de Administração ainda no final da tarde de ontem, mas não obteve êxito.