Grupo Arruaça de Teatro celebra três décadas de atuação buscando formação dos seus atores e luta por oportunidades

Um dos mais expressivos grupos de teatro de Mossoró está comemorando 30 anos de atuação. Seja nos palcos ou nas ruas, o Grupo Arruaça de Teatro tem seu nome consolidado e respeitado Nordeste afora pelos muitos festivais dos quais participou e pelos prêmios conquistados ao longo destas três décadas.

“Nós começamos fazendo teatro nas escolas ou em instituições. Éramos, inicialmente, eu e Socorro Assunção. Depois começamos a realizar encontros nos finais de tarde e daí surgiu a ideia de extrapolar aqueles muros e formar os nossos grupos. No começo começamos com recitais, com fragmentos poéticos”, informa Augusto Pinto, um dos coordenadores do grupo que faz parte ainda da sua formação inicial.

Goretti Alves, Josué Damasceno, Nonato Santos, Lenilda Sousa, Américo Oliveira e vários atores hoje pertencentes a outros grupos teatrais já fizeram parte do Arruaça.

Em 2005, o grupo foi vencedor do prêmio em homenagem aos 100 anos do Teatro Alberto Maranhão. Já teve espetáculos aprovados pelo Prêmio Fomento, da Prefeitura Municipal de Mossoró nos anos de 2005, 2006 e 2007.

Em 2010, um documentário baseados nos versos do poeta mossoroense Luís Campos, colocou os pés do grupo em uma nova dimensão, o audiovisual: “A produção surgiu dentro do projeto Mossoró Audiovisual que tinha por objetivo capacitar jovens neste tipo de produção. O Grupo Arruaça fez a direção de arte e foi o inspirador para a realização desse curta, já que o grupo já tinha montado o espetáculo em homenagem ao poeta Luís Campos”, comenta o produtor Carlindo Emanoel.

Sobre os espetáculos de destaque nestas três décadas, Augusto comentou: “Todo mundo faz bons e maus espetáculos, nós podemos dizer que a peça “Azul x Encarnado” foi um bom espetáculo, apesar de sermos ainda muito verdes. Nós passamos dez anos encenando “A Farsa da Boa Preguiça”, de Ariano Suassuna, então é um espetáculo que merece ser destacado, além de alguns textos de Racine Santos que fazem parte desta nossa história”.

Sobre o momento atual do grupo, o coordenador avalia: “O grupo chega a estes trinta anos fazendo uma reavaliação de sua caminhada. Neste momento temos que investir na formação de pessoas. Há uma necessidade de se especializar, de fazer projetos e também de analisar uma nova ideologia do grupo, que é se voltar para a cultura popular, ter um olhar mais engajado socialmente e brigar para que as políticas sociais cheguem também até nós”.

Sesc terá espetáculo infantil e exposição fotográfica em homenagem ao grupo teatral durante este mês

Para marcar o aniversário do Grupo Arruaça, o Serviço Social do Comércio (Sesc) está expondo durante todo o mês de novembro, na sua sede social, um acervo fotográfico, mostrando a trajetória da trupe, além de apresentar, todos os meses, uma vez por semana, um espetáculo infantil construído a partir de recortes da literatura de cordel.

“É um passeio pelos brinquedos cantados e brincadeiras da cultura nordestina, e pela literatura de Luís Campos e Antônio Francisco e pretende despertar nos alunos da educação infantil o prazer pelas artes cênicas, proporcionando um momento lúdico, construtivo e divertido”, comentam os organizadores.

Atualmente o Grupo Arruaça é composto pelos atores Carlindo Emanoel, que também é produtor do grupo, Euclides Flor, Huga Maia, Socorro Assunção, Sizinho Júnior e Leidemar Oliveira, além de Augusto Pinto, que além de atuar, também é diretor da trupe.