Greve de agentes penitenciários resulta em suspensão de visita nos presídios do Estado

Por questões de segurança, após ser deflagrada a paralisação pelos agentes penitenciários do Rio Grande do Norte na quinta-feira passada, ontem, as direções dos presídios mais importantes do Estado suspenderam as visitas dos familiares, aos detentos, até que todo o efetivo volte a trabalhar normalmente, uma vez que apenas 30% dos agentes estão operacionando suas atividades.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindasp), os agentes que estão em atividades irão garantir apenas serviços básicos enquanto durar a paralisação.

“A categoria cobra que o Governo do Estado envie uma mensagem referente ao Estatuto dos Agentes para a Assembleia Legislativa.Durante a paralisação, o Sindasp irá manter apenas 30% dos serviços, de forma que apenas atividades básicas serão mantidas”, explicou a presidente do sindicato, Vilma Batista.

Ainda segundo a presidente, apenas o repasse de alimentos fornecidos pelo Estado continuará acontecendo. Como os serviços de revista também serão suspensos, não está permitida a entrada de materiais entregues por familiares.

Agentes penitenciários em greve poderão ter ponto cortado pelo Governo do RN

Com a greve dos agentes penitenciários do RN, deflagrada desde quinta-feira passada, na capital e no interior, a categoria pode ter o ponto cortado devido a paralisação.

Durante entrevista ontem à imprensa da capital, o secretário Cristiano Feitosa, titular da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), disse que vai propor que o Governo corte o ponto dos grevistas.

No entender de Feitosa, existe uma decisão do Tribunal de Justiça proibindo a paralisação dos agentes desde 2014. Ele relatou que irá oficializar a desembargadora Judite Nunes, que é relatora do processo, e a Procuradoria-Geral do Estado para que seja cumprida a decisão estabelecida no ano passado.

Um processo administrativo será instaurado para apurar o cumprimento da lei de greve, que no entender de Cristiano Feitosa é ilegal.