Fundação José Augusto prorroga prazo para recebimentos de cordéis ao edital da Coleção Chico Traíra

A Fundação José Augusto (FJA) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE, na última quarta-feira (21) uma portaria prorrogando até 20 de novembro o recebimento de cordéis para compor a Coleção Chico Traíra.

Cada poeta só poderá concorrer com uma única obra, que deve ser apresentada no formato impresso e uma cópia em CD ou pendrive juntamente com uma pequena biografia com no máximo 10 linhas.
Os trabalhos devem ser entregues na sede da FJA, em Natal, na Rua Jundiaí, no bairro do Tirol, se segunda a sexta-feira, das 7h às 13 horas, onde o autor receberá alguns anexos que serão apresentados juntos com o cordel e o termo de entrega e compromisso.

“A ideia é estimular e apoiar a produção potiguar desse gênero literário, bem como divulgar e valorizar o trabalho dos poetas populares norte-rio-grandenses”, diz a assessoria de comunicação da FJA.
Ao todo serão escolhidos 12 cordéis, sendo que destes, 3 deverão ser do sexo feminino. As tiragens serão de 1.000 exemplares, divididos da seguinte forma: 30% para a FJA, 10% para o xilogravador e 60% para o cordelista.

Serão levadas em consideração para avaliação das obras quesitos como métrica, rima, coerência do texto e ritmo. A comissão julgadora será composta por Jorge Rodrigues da Silva, Aucides Bezerra de Sales e Paulo Varela.