Fecomércio sedia reunião da Câmara Empresarial do Turismo

A sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN foi palco ontem da última reunião do ano da Câmara Empresarial do Turismo, órgão consultivo da entidade, e que tem como um dos objetivos colaborar e apoiar o setor público visando a racionalização de investimentos para o turismo.

O presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, abriu a reunião fazendo uma explanação sobre a situação do Hotel Escola Barreira Roxa, gerido pelo Senac desde 2008, ano em que foi cedido pelo Governo do Estado à instituição.

Queiroz explicou que a empresa vencedora da licitação, a pernambucana J.A.G Empreendimentos, após contestações feitas pela segunda colocada no certame, ficou impossibilitada de tocar a obra.
“A licitação foi finalizada em 2011, e por causa do processo judicial, as obras só começaram em fevereiro de 2013. Em maio de 2014 a JAG alegou que não podia mais continuar com o serviço. Foi então que o Senac reassumiu a estrutura para providenciar novo processo licitatório, e desde então, já investiu cerca de R$ 1 milhão na manutenção e vigilância da estrutura, bem como na elaboração de novos projetos complementares para que possa ser refeita a licitação”, explicou o presidente. Ele esclareceu ainda que a licitação deve ser finalizada em breve, e em 2016 as obras devem ser retomadas.

Convidado para participar da reunião da CET pela primeira vez, o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, falou sobre a programação do Natal em Natal, que está sendo realizada em parceria com o Sistema Fecomércio RN, e do Carnaval 2016. O prefeito destacou que apesar da crise e com planejamento foi possível fazer uma programação semelhante à de 2014. “Fizemos um concurso e já iniciamos o mês de novembro com a cidade iluminada. O clima de Natal faz com que as pessoas se animem, movimenta a economia. Entre os meses de novembro e janeiro, só no entorno da árvore de Mirassol, se instalam 450 artesãos e 52 restaurantes e lanchonetes, o que gera uma movimentação média de R$ 2 milhões nos três meses”, frisou.

Carlos Eduardo disse ainda que apesar da crise, a cidade tem que reagir, e Natal sai na frente comparada a outras capitais do Nordeste que não terão nem a iluminação. “Minha preocupação agora é com a programação do Carnaval 2016. Como no início de 2015 tínhamos uma situação financeira mais confortável, a Prefeitura bancou a programação. Mas para o ano que vem é diferente. Estamos com uma parte do dinheiro em caixa, e ainda buscando patrocinadores para poder viabilizar a festa, que sabemos que movimenta a economia da cidade, beneficiando o comércio e o turismo. Inclusive temos como respaldo uma pesquisa feita pelo IPDC da Fecomércio que atestou que o Carnaval em Natal não só foi aprovado pela população, como também gerou divisas para a cidade”, ponderou.

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC), da Fecomércio RN, em março deste ano, com a realização do Carnaval 2015, houve uma injeção de mais de R$ 54 milhões na economia da cidade, sendo o gasto médio por turista de R$ 295,67, bem maior que o valor de R$ 210 registrado na alta estação. Já o natalense gastou, por dia, R$ 82,12, com o consumo de alimentos, bebidas e pequenas compras durante a festa de Carnaval. Além disso, o evento obteve uma nota média de 8,1, dada pelos foliões para sua estrutura.

O coordenador da Câmara Empresarial do Turismo, George Gosson, reconheceu a importância dos eventos para o turismo, e para a economia da cidade. “Esta continuidade na realização do evento é muito importante para a consolidação do Natal em Natal e do Carnaval. Ao longo dos anos, a propaganda boca a boca vai se firmando, e como Natal é uma cidade turística, isso é muito importante”.

Também participaram da reunião, os secretários municipais de Turismo, Fred Queiroz; de Cultura, Dácio Galvão; de Meio Ambiente e Urbanismo, Marcelo Rosado; de Governo, Jonny Costa; de Comunicação Heverton Freitas; e o diretor-geral do Procon Municipal, Kléber Fernandes.