Esporte amador é porta para uma vida mais saudável

Prática desportiva é celebrada no próximo domingo (15); professora de Educação Física incentiva acompanhamento de especialistas

Neste domingo (15) é celebrado nacionalmente o Dia do Esporte Amador, atividade desportiva realizada por interesse ou amor dos atletas, sem remuneração financeira. Apesar de não haver vínculo profissional, a maioria dos entusiastas do esporte amador leva o assunto a sério e são incentivados a buscar o acompanhamento de profissionais de Educação Física e demais especialistas da área de saúde.

“Se o esporte amador for realizado de forma regular, pelo menos três vezes durante a semana, pode trazer inúmeros benefícios ao corpo, entretanto, especialmente nos esportes de alto impacto, como futebol, é necessário além do acompanhamento do profissional de Educação Física, devido à possibilidade de lesões, um cardiologista e um nutricionista para que o atleta tenha um bom condicionamento físico”, explica Emanuelle Justino dos Santos, professora de Educação Física da Estácio Natal – unidade Zona Norte.

Dentre os benefícios corporais que a prática do esporte amador traz, Emanuelle destaca, além do controle de peso, uma melhora no nível de colesterol, controle da hipertensão, aumento da capacidade cardiorrespiratória, prevenção à osteoporose e redução de chances de infarto. Junto a esses, há também os benefícios sociais.

“O esporte amador agrega pessoas porque pode ser aprendido na escola durante a infância, com os colegas do bairro em diferentes idades e vivido ao longo da vida, o que contribui para a socialização que é tão necessária para o bem-estar”, afirma Emanuelle. Além disso, a professora lembra que o exercício em geral é uma forma não medicamentosa de combater os transtornos do sono e de humor, como insônia, ansiedade e depressão.

No Brasil, de acordo com o suplemento Práticas de Esporte e Atividade Física, da Pnad 2015, 61,3 milhões de pessoas praticaram algum esporte ou atividade física no país, representando 37,9% do total de pessoas de 15 anos de idade ou mais. Aos que fazem parte do grupo sedentário, mas querem começar as práticas de exercícios físicos, Emanuelle sugere que comecem com alguma atividade que a pessoa tenha interesse e que seja possível fazer no contexto de pandemia.

“Muitos profissionais de Educação Física estão atendendo de forma virtual e podem prestar orientações dessa forma. A recomendação é que se inicie a atividade com exercícios de alongamento, para relaxar o corpo e preparar os músculos. Em seguida, pode passar para exercícios de força, acompanhar um vídeo de dança ou aula de yoga online, por exemplo. Para iniciantes, esta é uma boa possibilidade”, indica.