Entidades empresariais pedem apoio da PMM para reverter quedas nas vendas

Representantes da classe empresarial se reuniram ontem com o prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior, para pedir apoio para reverter quedas nas vendas registradas pelo comércio nos últimos meses. Participaram do encontro os presidentes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Getúlio Vale, Associação Comercial e Industrial de Mossoró (Acim), Nilson Brasil, e do Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejo), Michelson Frota.

Os empresários apresentaram uma extensa pauta com assuntos importantes para a cidade. Entre as quais estão: maior flexibilidade na questão que envolve os transportes intermunicipais, um prazo para a implantação da Zona Azul, maior agilidade nos pagamento de dívidas da prefeitura com comerciantes locais, apoio para a realização de uma campanha para aquecimento da economia.

Eles também pediram esclarecimentos sobre a situação do transporte coletivo municipal que está ameaçando parar dia 1º de novembro, informações sobre o processo de licitação do aeroporto de Mossoró, projeto para a instalação da plataforma de acessibilidade no Museu Histórico Lauro da Escóssia e Coleção Mossoroense, e posicionamento do prefeito sobre a ameaça de fechamento do Hospital da Mulher.
Sobre a questão do transporte intermunicipal, o prefeito informou que o sistema municipal de trânsito manterá as fiscalizações para coibir as práticas ilegais e nocivas a organização do tráfego no centro da cidade, mas que já vem agindo com maior flexibilidade.

“Estamos aqui representando os empresários mossoroenses, que estão sofrendo com toda essa situação de crise econômica e que se agravou com a redução da população vinda dos municípios vizinhos, devido ao impasse com os transportes. Estamos aqui para entrar em consenso que faça com que esse público de fora sinta-se bem recebido, porque o comércio depende desse público”, frisa Getúlio Vale.

Sobre o pedido de agilidade no pagamento de dívidas da prefeitura com o comércio local, ficou acertado que a prefeitura iria estabelecer um cronograma para ir liquidando esses débitos.

Outro ponto discutido foi a falta de apoio por parte da prefeitura para a realização da campanha Liquida Mossoró. Já que este ano não será mais possível a realização desde movimento e a ideia de realização do Aquece Mossoró ficou para o ano que vem, o prefeito se comprometeu em apoiar com a liberação de uma verba para a realização de uma campanha que incentive a compra no comércio mossoroense, nos últimos meses de 2015. “A campanha terá como objetivo atrair os próprios mossoroenses e, principalmente,o público das cidades vizinhas a voltarem a comprar no comércio local, ajudando a aquecer as vendas neste final de ano”, enfatiza Getúlio Vale.