Empresário reúne acervo com mais de mil títulos de artistas independentes e raridades da música nacional

O empresário Carlos Wellington da Costa Ferreira é um apaixonado por boa música desde a sua adolescência. Até aí nada de excepcional. O diferencial na história de “Etinho”, como é conhecido o colecionador, são os nomes que sempre figuraram na sua lista de intérpretes.

Fã do mineiro Eugênio Avelino, o Xangai e do baiano Elomar, foi a partir da busca por trabalhos destes artistas que começou a garimpagem de Etinho por artistas que não são do conhecimento da maioria das pessoas.

“Há uns 30 anos comecei a procurar as coisas de Elomar e Xangai, naquela época, sem o advento da internet isto era uma tarefa difícil. A partir de 2005 comecei de fato a coleção, e fui buscando outros artistas, descobrindo outros nomes”, comentou.

Rodeado de prateleiras, a pequena sala de audição já está ficando pequena para a coleção que já ultrapassa mais de 1.500 CDs, sem contar livros e vinis de artistas que você possivelmente nunca ouviu falar.
Bule Bule, Dona Edith do Prato, Pedro Boi, Maria Eugênia e Maviael Melo são alguns destes nomes que fazem parte do repertório de Etinho, que lamenta não ter a oportunidade de ver shows destes artistas na cidade: “Sempre que entro em contato eles ficam muito felizes, falam bem de Mossoró. São shows relativamente baratos, é uma pena que não tenha na cidade um empresário ou mesmo um gestor que não se interesse neste tipo de música”.

Apesar dos artistas independentes desconhecidos, Etinho também tem um vasto material de clássicos como Adoniran Barbosa, Cartola, Ednardo e outros de renome nacional.