Domicio Arruda – Vidas Cruzadas

Maiores os números que sustentam as estatísticas, mais anestesiados ficamos.

É só lembrar quando o terror começou em Wuhan, como o medo era abafado pela distância e esperança que por aqui o mal não chegasse.

Pequeno como o mundo se mostrou, passamos a acompanhar as tragédias cada vez mais de perto.

Até que começaram a ser, além de números, rostos e estórias conhecidas.

Gráficos, tabelas e registros fúnebres viraram rotina. Coisas do dia-a-dia, como um rol de roupa suja que se entrega na lavanderia.

Tantas camisas francesas. Tantos pijamas chineses.Tantos lenços italianos.

De uma hora para outra, um pensamento e a constatação.

Até onde fomos capazes de chegar.

Que bom! Somente 700 mortes na Itália. Em um dia.

Um número.

Sem vidas.

Sem emoção.

A compaixão entrou em quarentena.

Só nos restou o pavor.

E o egoísmo.

O que nos traz de volta aos sentimentos mais humanos é a empatia.

Com o próximo, do círculo de conhecidos.

Jovem médico, com linda família e brilhante carreira.

Com o próximo, pelo comovente relato que corre o mundo, nas mídias sociais.

Duas vidas que se encontraram na mesma encruzilhada e desapareceram no mesmo emaranhado de fios, tubos e sensores, em leitos de UTI.

E seus legados.

Iguais.

Viúvas com a missão de cuidar e encaminhar pela vida, os frutos do amor partido.

Crianças que conhecerão os pais pelas memórias deixadas e lembranças que serão contadas.

Ao saber que seria entubado, Jon Coelho, 32 anos,  funcionário de um tribunal em Connecticut, pai de Braedyn (2 anos) e Penelope (10 meses), deixou uma mensagem no celular que só foi recebida pela mulher Katie, depois de um mês da internação.

E da morte.

Eu amo vocês de todo o coração e vocês me deram a melhor vida que eu poderia ter pedido. Tenho tanta sorte, me sinto tão orgulhoso de ser seu marido e pai de Braedyn e Penny.

Katie, você é a pessoa mais linda e atenciosa que já conheci…você é verdadeiramente única…certifique-se de viver a vida com felicidade e a mesma paixão que fez eu me apaixonar por você. Ver você ser a melhor mãe para as crianças é a melhor coisa que já experimentei.

Deixe Braedyn saber que ele é o meu melhor amigo e tenho orgulho de ser seu pai, e todas as coisas incríveis que ele fez e continua a fazer.

Deixe Penelope saber que ela é uma princesa e pode ter o que quiser na vida. Eu tenho tanta sorte…

Não se contenha, e se você conhecer alguém, saiba que se ele amar você e as crianças, eu vou ficar feliz por você.

Seja sempre feliz, não importa o que aconteça!

Território Livre – TN