Dia de campo apresenta tecnologias para o algodão e o gergelim no semiárido

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) e a Embrapa Algodão realizam na próxima sexta-feira (13), dia de campo com o tema “Tecnologias para o algodão e o gergelim no semiárido”, na Estação Experimental da Emparn em Apodi. Durante o evento, o público terá a oportunidade de conhecer o desempenho das cultivares de algodão colorido, algodão de fibra longa e algodão resistente ao herbicida glifosato, além do manejo da irrigação do algodoeiro e o programa de melhoramento genético do algodoeiro para o semiárido.

O dia de campo também apresentará o sistema de produção da cultura do gergelim para a nova cultivar desenvolvida pela Embrapa, a BRS Anahí, palavra de origem Tupi que significa “bela flor do céu”. A cultivar tem sementes de cor esbranquiçada (mais apreciada pela indústria alimentícia), ciclo de 90 dias, teor de óleo de 50 a 52% e o peso médio é de 4,22mg. É tolerante a doenças como a murcha-de-macrophomina, mancha-angular e cercosporiose. “Em condições normais de água e solo e manejo adequado a cultivar tem potencial para produzir 1.600 quilos por hectare”, diz a pesquisadora da Embrapa Algodão e responsável pelo desenvolvimento da nova variedade, Nair Arriel.