Deputado é expulso do Pros e deve assumir PSB no Estado

O deputado federal Rafael Motta foi expulso do Partido Republicano da Ordem Social (Pros), anteontem, e se filia ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), hoje, às 9h, em reunião do Diretório Nacional do PSB, no Hotel Nacional, em Brasília (DF). Comenta-se que o parlamentar já tem acordo com o presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, para assumir o comando do PSB no Rio Grande do Norte.

“Fiquei muito honrado com o convite do PSB para ingressar na sigla. Estamos indo para o partido com objetivo de somar no Rio Grande do Norte e de fortalecê-lo na Câmara dos Deputados. O PSB é um partido que tem em seu quadro políticos com uma história de garra e perseverança, o que me deixa muito orgulhoso em agora fazer parte dessa legenda”, destacou o deputado.

Rafael Motta, filho do ex-presidente da Assembleia Legislativa e deputado estadual Ricardo Motta (Pros), deverá substituir na direção regional a ex-governadora e atual vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, que há décadas lidera o partido no Estado. Inclusive, o deputado federal tentou contato com Wilma, que não pode atender os telefonemas, porque se recupera de cirurgia em São Paulo.

O parlamentar foi expulso pela direção nacional do Pros devido às críticas que fez ao uso do dinheiro do fundo partidário para a compra de um helicóptero pelo partido, no mês passado. O partido informou a expulsão do parlamentar à Câmara dos Deputados anteontem, e o desligamento da bancada do partido foi oficializado ontem. Agora, Rafael Motta reforçará a bancada do PSB, que passa a ter 34 deputados na Câmara.

Em nota oficial, o parlamentar disse estar convicto que suas críticas ao mau uso do fundo partidário, por parte da Executiva Nacional do Pros, quando da compra de bens luxuosos, como um helicóptero e um avião, motivaram a decisão do comando da legenda. O mesmo motivo, segundo ele, provocou também a expulsão dos deputados Domingos Neto (CE) e Valtenir Pereira (MT).

“Posso afirmar com toda convicção de que não me arrependo e mantenho o meu posicionamento, pois o fundo partidário é constituído por dinheiro público e deve ser utilizado com ética, honestidade e responsabilidade. Acredito que agi em consonância com o pensamento da sociedade. Concluo esse capítulo de cabeça erguida, pois fui fiel aos meus eleitores quando não concordei com esses atos, e estou pronto para os novos desafios”, afirmou.

MUDANÇA
A assunção de Rafael Motta no comando do PSB no Rio Grande do Norte era cogitada há meses, e é motivada pela fragilização da legenda no Estado, a partir do mau desempenho na eleição de 2014. Inclusive, a mudança na direção estadual partiu de líderes do PSB em Brasília, insatisfeitos com o rumo da gestão Wilma de Faria à frente da sigla nos últimos tempos no Rio Grande do Norte.