Covid-19: Estados Unidos põem fim aos estudos com hidroxicloroquina

Instituto Nacional de Saúde do país concluiu que o medicamento, elogiado por Donald Trump, não traz benefícios ao tratamento

Não há evidências científicas que atestem a hidroxicloroquina como remédio que solucione a Covid-19; Nesta semana, a OMS suspendeu os testes com o medicamento Foto: Cadu Rolim / Agência O GloboNão há evidências científicas que atestem a hidroxicloroquina como remédio que solucione a Covid-19; Nesta semana, a OMS suspendeu os testes com o medicamento Foto: Cadu Rolim / Agência O Globo

WASHINGTON – O Instituto Nacional de Saúde dos EUA informou hoje ter interrompido um estudo clínico para avaliar a segurança e a eficácia da hidroxicloroquina, um medicamento contra a malária, para o tratamento de pacientes Covid-19 hospitalizados. O estudo constatou que a hidroxicloroquina, droga que o presidente Donald Trump sempre elogia como um possível tratamento, não proporcionou nenhum benefício aos pacientes.

No início desta semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que a pesquisa com a hidroxicloroquina, em seu amplo teste em países para tratamentos para pacientes com Covid-19, foi interrompida após novos dados e estudos não mostrarem benefício.

A Food and Drug Administration, agência reguladora de medicamentos dos EUA, revogou sua autorização de uso emergencial para a hidroxicloroquina no tratamento do Covid-19 na segunda-feira.Trump havia promovido a droga como um tratamento potencial, afirmando em março que poderia ser “uma das maiores mudanças na história da medicina” quando usada em combinação com o antibiótico azitromicina. No mês passado, em um anúncio surpresa, Trump disse que estava tomando hidroxicloroquina de forma preventiva depois que dois assessores da Casa Branca tiveram diagnóstico positivo para o novo coronavírus.

O Instituto Nacional de Saúde dos EUA havia anunciado em abril o seu teste com a hidroxicloroquina, usada no tratamento da malária e de doenças reumatóides, como a artrite.

O Globo