Corpos de detentos soterrados em túnel são trocados na hora de entregá-los aos familiares

Uma trapalhada por parte da equipe do Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) na hora de liberar os corpos de dois detentos que morreram soterrados em um desabamento de túnel na última segunda-feira, na Penitenciária de Alcaçuz, fez com que os familiares levassem para velar os defuntos trocados. Os corpos de Arlindo de Lima Silva e Rodrigo Nascimento Silva, que residiam, respectivamente, em João Câmara e Natal, só foram notados que estavam trocados momentos antes dos sepultamentos.

Segundo a polícia, no início da noite da terça-feira, os familiares de Arlindo de Lima, que mora em João Câmara, receberam o corpo do ente querido, mas, após velarem a noite toda, descobriram que não era o parente morto e informaram ao Itep.

Por sua vez, no bairro Redinha, o corpo que seria de Rodrigo Nascimento foi velado, a partir das 22h30, e somente pela manhã, quando o pai do detento chegou para o sepultamento percebeu que não era o filho e, também, acionou o Itep. De imediato, a equipe de peritos reparou o erro e destrocou os cadáveres.

Nota
A assessoria do Itep, por meio de nota falada e escrita, reconheceu a falha na liberação dos corpos e disse que o órgão instalou um processo interno para saber o que aconteceu. Serão ouvidos funcionários que trabalharam nos dias 9 e 10.