Colégio Diocesano Santa Luzia, 120 anos de fundação – Parte II

Geraldo Maia do Nascimento - [email protected]

No artigo anterior começamos a contar a história da fundação do Colégio Diocesano Santa Luzia, que nesta semana, 02 de março, completou 120 anos. Listamos os dirigentes do educandário até a gestão do Padre Gentil Diniz Barreto, que permaneceu no cargo até 1945, quando foi transferido para Pernambuco.

Depois a Direção do Colégio passou para o Padre Francisco de Sales Cavalcanti, que tomou posse em 8 de fevereiro de 1946. Entre as várias realizações do Padre Sales, destacou-se a construção do atual prédio do Colégio Diocesano Santa Luzia, cuja pedra fundamental foi lançada em 30 de setembro de 1947. Foi um longo período de obras. O Bispo buscou ajuda também dos políticos do Estado, como dos Deputados Federais Jerônimo Dix-huit Rosado Maia e Vicente da Mota Neto; do Prefeito de Mossoró, Jerônimo Vingt Rosado Maia e do Vereador Joaquim da Silveira Borges, que se dirigiram ao Rio de Janeiro em busca de recursos para a conclusão do novo prédio. Em 1950 o Padre Sales, por problemas de saúde, renunciou ao cargo de Diretor, mas permaneceu a frente das obras, passando a Direção do Colégio para o Padre Cornélio Wokke, que logo no mês de setembro daquele ano foi substituído pelo Padre Cornélio Danker, ambos de nacionalidade holandesa, esse último mais conhecido por Padre Miguel.

O Padre Miguel deixou a Direção do Santa Luzia em 8 de março de 1954, quando foi substituído pelo Padre Rinaldo Guimarães de Silva, cujo nome religioso era Gabriel. Permaneceu no cargo até 15 de novembro do mesmo ano.

Mais uma vez assumiu a Direção do Diocesano o Padre Sales, que fora elevado a honraria eclesiástica de Cônego. Em 1955 o Cônego Sales requereu ao Diretor do Ensino Secundário a verificação das novas instalações do Ginásio Santa Luzia, para efeitos de transferência e funcionamento como Colégio e Estabelecimento de Ensino Secundário.

A inauguração do novo prédio aconteceu em 9 de junho de 1956, com grandes festividades. O Cardeal Dom Jaime de Barros Câmara, Arcebispo do Rio de Janeiro e 1º Bispo da Diocese de Mossoró, rezou a missa no pátio interno do Colégio com as bênçãos das instalações do pavimento térreo. Dom Eliseu Simões Mendes, 3º Bispo da Diocese de Mossoró, oficiou as bênçãos do pavimento superior. Após as festividades, as atividades voltaram ao seu ritmo normal.

Foi nesse ano de 1956 que o Padre Sátiro Cavalcanti Dantas chegou de Roma e assumiu o cargo de Secretário do Educandário. E em 28 de junho do mesmo ano fechou-se definitivamente o velho prédio que abrigou o Santa Luzia desde a sua fundação, em cujo local foi edificado o atual prédio do Banco do Brasil, no centro da Cidade.

Nova mudança na direção do Santa Luzia, assumindo o cargo o Cônego Raimundo Gurgel do Amaral, que no dia 7 de março de 1957, em sessão solene, faz a abertura do ano letivo, apresentando como novidade a instalação oficial do Curso Colegial. Mas logo no dia seguinte, 8 de março, sofreu um enfarte e foi obrigado a se afastar da Direção para tratamento de saúde, que se estendeu até o final do mês de maio. Mas mesmo reassumindo as funções, estava muito debilitado e assim, apenas um ano após a sua posse, renunciou do cargo. Para o seu lugar foi nomeado o Cônego Luís Soares de Lima, que foi empossado em 1º de janeiro de 1958.

Um fato muito importante foi que em 12 de outubro de 1960 chegou a Mossoró o seu 4º Bispo, Dom Gentil Diniz Barreto, que fora Diretor do Santa Luzia nos anos de 1944 e 45. Em 5 de dezembro de 1960 o Colégio encerrou suas atividades letivas e nos últimos dias do ano o Cônego Luiz Soares entregou o cargo de Diretor ao Bispo Dom Gentil Diniz Barreto e viajou para a Europa, a fim de participar de alguns cursos da Pastoral na França.

Com a renúncia do Cônego Luiz Soares de Lima, foi nomeado para o cargo de Diretor o Padre Sátiro Cavalcanti Dantas, pelo Bispo Diocesano Dom Gentil Diniz Barreto, em 1º de janeiro de 1961. Permaneceu no cargo por 51 anos, sendo a mais longa permanência de um Diretor à frente do Diocesano Santa Luzia. E já velho e cansado, renunciou ao cargo, tendo sido substituído pelo atual Diretor, o Padre Charles Lamartine, no ano de 2012, por determinação do atual Bispo Diocesano, Dom Mariano Manzana.

São 120 anos a serviço da cultura potiguar. E para terminar este artigo, nada melhor do que usar uma frase do seu Diretor Emérito, Padre Sátiro Cavalcanti Dantas, quando disse:

“Falar sobre o Santa Luzia é mergulhar num passado permeado de lutas, vitórias e, até mesmo, derrotas em certas batalhas, mas sempre vitória na marcha do presente para o futuro. ”

 

Para conhecer mais sobre a História de Mossoró visite o blogdogemaia.com e o canal do You Tube “Na História com Geraldo Maia”.